Hugo Duarte homenageia ex-rivais com a faixa-preta de Luta-Livre

0
384

Depois de mais de duas décadas de guerra, podemos afirmar hoje, com tranquilidade, que a maior rivalidade da história das artes marciais no Brasil é página virada. Se em 1998 Carlson Gracie iniciou o armistício ficando no corner de Hugo Duarte na luta com Mark Kerr, no Pride 4, na última quinta foi a vez do general da Luta-Livre, mais uma vez, colocar um ponto final no entrevero entre as duas modalidades, homenageando com um diploma e a faixa-preta diversos grandes ícones da Arte Suave. 

“A gente demorou a entender, mas a verdade é que somos uma Luta só”, definiu Hugo num discurso emocionado ao abrir a noite diplomando Fernando Pinduka como mestre 5º dan de Luta-Livre sob os aplausos de mais de 100 pessoas presentes ao dojo da academia KS, na Barra da Tijuca. 

Depois vieram ainda Cassio Cardoso, Marcio Santos, Zé Roberto, Vinicius Campello e Otávio Peixotinho, que mereceu os aplausos mais acalorados do público ao relembrar um lado positivo daquelas duas décadas de entreveros. 

“Esta rivalidade foi proveitosa para Jiu-Jitsu e Luta-Livre, pois ambos saíram dela muito mais fortes para pegar os wrestlers americanos”.  

Também receberam a faixa-preta os mestres Osiris Maia, Flávio Almendra e Antoine Jaoude. Já Rousimar Toquinho recebeu o 5º dan. Foram homenageados com menções honrosas o mestre de Boxe Claudio Coelho; de Karatê Eduardo Santos; os policiais Adonis Lopes e Leonardo Albarello; os políticos Marcelo Arar, Ronaldo Caiado e Marcelo Bertolucci; e o jornalista Marcelo Alonso. 

https://youtu.be/iSRs4QV2fW4