Quase 30% do card do UFC Rio é formado por lutadores oriundos do LFA

0
229
LFA é a principal liga de desenvolvimento de atletas de MMA do planeta (Foto: LFA)

O UFC retorna ao Brasil no próximo sábado, dia 21, para a edição de número 283, a primeira no país após a pandemia, no Rio de Janeiro. Ao todo, o card é composto por 15 lutas, com direito a duas disputas de cinturão: Glover Teixeira enfrenta Jamahal Hill pelo título dos meio-pesados; e Deiveson Figueiredo tenta defender o dos pesos-moscas na tetralogia contra Brandon Moreno.

LFA é a principal liga de desenvolvimento de atletas de MMA do planeta (Foto: LFA)

Quase 30% do card conta com atletas oriundos do LFA, confirmando a proposta da organização em ser a principal liga de desenvolvimento de lutadores de MMA do planeta. Os lutadores são: Brandon Moreno, Lauren Murphy, Terrance McKinney, os brasileiros Gregory Robocop, Thiago Moisés, Melquizael Costa, Luan Lacerda e os irmãos Ismael e Gabriel Bonfim. Os quatro últimos lutaram pelo LFA no Brasil no ano passado.

Essa porcentagem de lutadores que saíram do LFA em cards do UFC é comum nos EUA. A tendência é essa dominância se repetir mais vezes no Brasil, já que a organização presidida globalmente por Ed Soares e por Rafael Feijão na América do Sul vem promovendo eventos constantes no país.

A próxima edição, inclusive, acontece uma semana após o UFC Rio. O LFA 151, marcado para sábado do dia 28 de janeiro, no município paulista de Cajamar, vai colocar dois cinturões em disputa: José Delano e Gabriel “Mosquitinho” duelam pelo título dos penas; e Julia Polastri enfrenta Brenda Gotting pelo dos palhas feminino.

Tanto o UFC 283 quanto o LFA 151 serão transmitidos ao vivo com comentários em portugês para todo o Brasil através do UFC Fight Pass.