Uanderson Ferreira: carioca que conquistou árabes com carisma e jiu-jítsu agora quer o mundo

0
86
Uanderson Ferreira foi uma das estrelas do card do ADXC 1, em Abu Dhabi (foto: Bruno Ramôa)

Bastam algumas palavras com Uanderson Ferreira para notar que se está diante de um típico carioca. Sotaque chiado, gírias na ponta da língua e um jeito malemolente. Acrescenta-se a estes ingredientes um misto de agressividade nas lutas e determinação, e fica fácil de entender porque o jovem, de 22 anos, tornou-se um ídolo nos Emirados Árabes Unidos e uma das grandes promessas do jiu jitsu na atualidade. Este prestígio poderá se tornar ainda maior a partir do próximo dia 9, quando Uanderson tentará conquistar o mundo, pela primeira vez, no AJP World Pro 2023, em Abu Dhabi.

Uanderson Ferreira foi uma das estrelas do card do ADXC 1, em Abu Dhabi (foto: Bruno Ramôa)

“Vai ser um grande desafio, eu consegui passar da seletiva por estar bem pontuado no ranking e já estou na chave principal. Vai ser uma guerra. Independente de quem vier pela frente, caiu na rede é peixe. Essa edição do World Pro é especial, terão mais atletas do que nunca e todo mundo está babando para levar. Mas estou muito bem preparado, os meu professores na Commando Group estão tirando o meu melhor e vou com tudo buscar esse título”, afirma Uanderson.

Natural do Morro de São João, Zona Norte do Rio de Janeiro, Uanderson vive há 4 anos nos Emirados Árabes Unidos. O convite veio quando ainda era faixa azul e treinava no projeto social Márcio Carreira, na comunidade onde morava. De lá para cá, o brasileiro se consolidou com títulos importantes da AJP (Abu Dhabi Jiu Jitsu Pro) nas faixas coloridas até tornar-se um faixa preta, no início deste ano. O sucesso na nova graduação foi imediato, e em junho, ele conquistou o AJP Grand Slam Rio de Janeiro, o que lhe rendeu uma oportunidade na 1ª edição do badalado ADXC – evento de lutas casadas realizado na última sexta-feira, em Abu Dhabi, com estrelas do mundo do grappling.

“Quem olha pensa que as coisas aconteceram muito rápido na minha vida. Mas por trás de todo esse sucesso teve muito trabalho, muito suor e muito sacrifício. O Grand Slam no Rio foi uma afirmação para mim de que eu conseguiria me manter no topo na faixa preta. Quando fui convidado para o ADXC foi uma oportunidade incrível, me senti uma estrela do jiu jitsu. Infelizmente não consegui a vitória, acabei perdendo para o Fellipe (Andrew) mas tenho certeza que vou voltar mais maduro e ainda melhor nas próximas lutas. O World Pro vai ser uma grande chance para eu mostrar o quanto sou forte e não me deixo abalar”, confia o atleta.

O otimismo e a resiliência demonstrada nas palavras acompanham a trajetória de Uanderson desde o início. Se, hoje, ele consegue viver uma vida confortável e focada apenas no jiu jitsu, muito se deve ao esforço dedicado na adolescência e à mentalidade inabalável dos tempos em que morava na desafiadora comunidade no Rio de Janeiro.

“Vi alguns amigos do Morro do São João indo para o lado errado, a gente vive muitas vezes no limite do bem e do mal lá. Mas sempre tive o jiu jitsu na minha vida, comecei aos 8 anos, me mantive focado no meu propósito de me tornar lutador profissional e mudar de vida. Nunca pensei em desistir, e hoje estou colhendo os frutos. Por isso espero servir de inspiração para a molecada que hoje está passando pelas trevas. Quero que eles entendam que é só uma fase, continuem fazendo rifas, vaquinhas, tirando dinheiro daqui e dali para lutar. Vocês têm uma vida inteira pela frente e se vocês acreditarem, vocês podem mudar de patamar também”, aconselha.

Apesar de já viver um sonho, as ambições de Uanderson não param e transcendem as quatro linhas do tatame. Ele planeja iniciar uma faculdade de educação física no próximo ano, equilibrando sua rotina de treinos com o conhecimento acadêmico. Seus olhos também brilham ao falar de seu desejo de proporcionar uma vida melhor a seus pais, incluindo o sonho de comprar uma casa longe do Morro do São João, no Rio de Janeiro.

“A gente nunca sabe o dia de amanhã, quero aproveitar ao máximo minha carreira também me preparar para o futuro. Tenho muitos objetivos ainda como atleta, ser campeão mundial do World Pro é um deles, mas meus grandes planos para 2024 são de iniciar uma faculdade, provavelmente de educação física, e tirar meus pais da comunidade. Quero comprar uma casa para eles em um bairro melhor no Rio de Janeiro, longe da violência”, vislumbra o jovem.

Uanderson Ferreira é uma lembrança viva de que por trás de cada lutador há uma história extraordinária e uma determinação inquebrável. O sorriso que carrega reflete não apenas sua autenticidade, mas também sua resiliência. Enquanto ele se prepara para enfrentar o mundo no World Pro, em Abu Dhabi, somos lembrados de que sonhos, quando alimentados com paixão e perseverança, podem transcender os limites da realidade.