CMSystem investe em fisioterapia para melhorar a performance e ampliar a longevidade de seus lutadores

0
237
Cristiano Marcello entre os fisioterapeutas - Divulgação/CMSystem

Além da ampla área de treinamento técnico, com tatame, octógono e ringue, o novo Centro de Treinamento da CMSystem, inaugurado em setembro, conta com uma moderna estrutura para fisioterapia, tanto de recuperação quanto de prevenção. O setor é comandado pelos fisioterapeutas Bruno Aldenucci e Faruk Kalil.

Cristiano Marcello entre os fisioterapeutas – Divulgação/CMSystem

Um espaço dedicado à fisioterapia em uma academia de lutas era algo inimaginável no passado, mas o reconhecimento à sua evoluiu concomitantemente com a profissionalização do MMA. Hoje, além de garantir uma recuperação segura, a fisioterapia previne lesões e permite uma longevidade da carreira.

“Conforme o esporte foi se profissionalizando, os lutadores e treinadores entendendo os riscos e também como esse trabalho pode melhorar a performance e permitir uma longevidade da carreira do atleta, essa procura pela área aumentou.”, explica Bruno Aldenucci, que é formado em Fisioterapia e Educação Física.

Com formação internacional em treinamento funcional e autor do livro “Treinamento Clínico Funcional”, que destaca o método que desenvolveu utilizando o treinamento funcional para reabilitação de lesões e doenças crônicas não transmissíveis, Aldenucci comenta como funciona o setor de fisioterapia na CMSystem.

“Desde reabilitação com equipamentos, recuperação com banheira de gelo, hidromassagem, a gente faz contraste para favorecer a recuperação dos atletas, além do trabalho de condicionamento físico e treinamento funcional que visa a melhora da performance e a diminuição do risco de lesões.”, conta.

“Quando o atleta começa a cansar, a diminuir a resistência, ele perde a qualidade técnica. É como se o seu cérebro não conseguisse manter toda aquela atividade por falta de energia. E quando você perde a qualidade técnica, você começa a fazer errado, você corre o risco de perder a luta e até ter lesão.”, complementa.

Sócio de Bruno Aldenucci na Prime Fisio, que atende não somente a CMSystem, como atletas de outras equipes e modalidades, Faruk Kalil, fisioterapeuta com especialização em medicina-clínica cirúrgica, aponta as peculiaridades do MMA em relação a outros esportes.

“A biomecânica realizada no MMA é extremamente agressiva para as articulações devido a altos impactos. Treinos intensos, a necessidade da alta performance todo dia nos treinos aliado a alterações que já vêm de tempos atrás nos leva a realizar um tratamento voltado para sua performance sem alterar seu rendimento e, sim, maximizar isto de uma forma que a biomecânica seja um fator aliado. Ou seja, o movimento com padrão funcional, mais eficiente, mais potente, mais forte e mais preparado para as adversidades dos treinos e da luta.”, explica.

“Realizamos um plano de tratamento individualizado para cada atleta. Os atletas têm um limiar de dor diferenciado do resto da população, isso faz com que lesões que possam ser mais sérias e necessitem de intervenção no momento da lesão venham a ser mínimas para eles e que a médio e longo prazo venham a tirar este atleta de treinos e lutas importantes. Para isso, precisamos estar perto e acompanhar os treinos, conversar sobre dores, lesões e mostrar a importância da fisioterapia para sua longevidade no esporte.”, complementa.

O trabalho dos fisioterapeutas na CMSytem não se limita a atletas de alto rendimento. O trabalho de prevenção é feito também com jovens promessas da equipe. Bruno Aldenucci cita um desses casos.

“O Ricardinho, de 15 anos, faz um trabalho de treinamento funcional para condicionamento físico, para melhorar o equilíbrio, a potência do chute, a técnica, que tenha mais resistência para aguentar mais tempo na luta. A gente acredita que ele é uma promessa e, fazendo esse trabalho dentro da base, temos certeza que como atleta ele vai mais longe do que se treinasse apenas a parte técnica. A CM, com essa estrutura, essa visão técnica, de achar bons talentos, associado à fisioterapia e recuperação, tenho certeza que vai virar referência internacional.”, afirma.

Faruk Kalil também atenta para uma mudança de mentalidade dos atletas de MMA em relação a não se limitar a treinamentos técnicos.

“Por ter sido atleta, percebi muita coisa errada em muitos movimentos que poderiam ser melhorados sanando problemas futuros. Mudança da biomecânica do movimento que causa lesão, que causa alteração e que prejudica o atleta lá na frente, fazendo com que suas lesões não o deixem treinar em alto rendimento ou que tenha que parar mais cedo por causa destas alterações.”, aponta.

“É muito importante o trabalho multiprofissional que fazemos com o médico, nutricionista, preparador físico e psicólogo. Mudanças de padrões de movimento, volume de treino enquanto realiza a fisioterapia, conversas sobre reabilitação. Eles tinham uma visão diferente da fisioterapia. Durante este tempo com os atletas conseguimos mostrar a importância da fisioterapia no dia a dia.”, finaliza.