Cristiano Marcello comemora primeiro semestre vitorioso da CMSystem em 2022

0
70
Exército da CMSystem vem aumentou coleção de títulos (Foto: Divulgação)

O treinador Cristiano Marcello, líder da equipe CMSystem, tem muito o que comemorar em 2022. Além dos quatro cinturões no MMA – dois do Iron, um do Cidade da Luta e outro do Nação Cyborg -, o time curitibano tem se destacado também em importantes torneios de jiu-jitsu ao redor do planeta.

Exército da CMSystem vem aumentou coleção de títulos (Foto: Divulgação)

Outro feito importante recente da equipe foi a vitória do peso-pesado Matheus Buffa sobre o atual campeão do PFL Bruno Capelozza. A luta não rendeu cinturão, mas mostrou que os atletas da equipe CMSystem estão preparados para disputar em alto nível, como destacou Cristiano Marcello. Vitor Petrino, que compete no Contender Series em setembro buscando uma vaga no UFC é outro destaque do grupo.

“Estou muito feliz, são muitas vitórias importantes, quatro cinturões de eventos grandes. O Cidade da Luta é um dos maiores eventos do Sul do Brasil. Nação Cyborg é o evento da grande campeã Cris Cyborg. E o Iron é o maior show de MMA do Norte do país. Além dos cinturões, temos que comemorar também os mais de 90% de aproveitamento que temos tido nas lutas”, destacou Cristiano Marcello.

“Além disso, o Matheus Buffa teve uma vitória excepcional por unanimidade, ganhando do atual campeão do LFA e o nosso time de jiu-jitsu também tem conquistado medalhas importantes nos maiores torneios ao redor do planeta”, completou.

Ex-campeão do Brave, Luan Miau conquistou o cinturão do Cidade da Luta em maio, após bater Vinicius Mattos. Já Erick Visconde detém os títulos do Iron e do Nação Cyborg e buscará o terceiro cinturão, desta vez do AFT, na próxima semana. Geraldo ‘Luan Santana’, também com o título do Iron, completa o trio de campeões.

“Eu sinto que a gente voltou ao mesmo patamar da CM System de 2019, quando tínhamos dois campeões mundiais, três campeões do Future, que era o maior evento da época… E estamos indo para ganhar tudo o que entrarmos, até par ou ímpar”, concluiu.