Da CDD ao ADXC: a jornada Inspiradora de Pedro Lucas Soares no jiu-jítsu

0
94
Pedro Lucas Soares é uma das grandes promessas da faixa-preta na atualidade - Marcell Fagundes

Em uma trajetória que transcende os tatames, Pedro Lucas Soares, jovem atleta de jiu-jitsu, de 23 anos, se prepara para enfrentar um dos maiores desafios de sua carreira até o momento. No próximo dia 2 de março, ele estará no ADXC 3, evento integrante da BC Fight Week, em Balneário Camboriú-SC, para enfrentar Gutemberg Pereira, um dos grandes faixas pretas da atualidade, em um confronto que promete ser mais um marco em sua promissora carreira.

Pedro Lucas Soares é uma das grandes promessas da faixa-preta na atualidade – Marcell Fagundes

“Vejo o Guto (Gutemberg) lutar desde que sou faixa azul, quando eu era mais novo ele era uma grande referência. Então, poder lutar contra meus ídolos é algo muito bacana. Fico feliz com a oportunidade que Abu Dhabi está me dando, é um evento muito que valoriza muito os atletas e estar aqui é sinal de que estou no caminho certo. Estou preparado para fazer uma grande luta”, afirma Pedro Lucas.

Nascido e criado na comunidade de Quintanilha, parte da notória Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, Pedro Lucas é um exemplo de como o esporte pode ser uma ferramenta poderosa de transformação social. Vindo de uma família humilde, foi no jiu-jitsu que ele encontrou um caminho para não apenas canalizar sua energia e foco, mas também para pavimentar um futuro diferente para si mesmo.

“Tudo que conquistei foi através do jiu-jitsu. Quero poder mostrar para o mundo quem é o Pedro Lucas, um moleque tranquilo, simples, trabalhador e que está aqui para fazer barulho”.

Raízes profundas

Desde cedo, Pedro Lucas foi introduzido na arte suave pelo seu pai, Rodrigo Ribeiro, faixa preta e figura paterna que viu no esporte uma maneira de educar e orientar o filho. “O jiu-jitsu foi a maneira que meu pai encontrou para me manter no caminho certo, melhorar meu comportamento e me dar uma direção na vida,” compartilha Soares. Essa iniciação precoce marcou o início de uma paixão que definiria o rumo de sua vida.

“Depois que lutei na minha primeira competição e perdi, eu entrei com tudo e botei na cabeça que eu não queria perder mais. Essa competitividade me fez ser quem eu sou hoje”.

Apesar de sua ascendência no mundo do jiu-jitsu e a mudança para uma realidade mais segura, Pedro faz questão de manter suas raízes vivas, retornando à Cidade de Deus semanalmente.

“Faço questão de cortar o cabelo toda semana lá na comunidade. É importante para mim nunca esquecer de onde vim, manter minha essência. Isso me dá força,” reflete o atleta.

Desafios e determinação

A jornada de Pedro Lucas não foi isenta de obstáculos. Crescer em um ambiente marcado pela violência e desafios sociais colocou à prova sua resiliência e determinação. Ele relembra os momentos difíceis quando os treinos eram interrompidos por tiroteios ou operações policiais, realidades duras que fortaleceram seu compromisso com o esporte e com sua comunidade.

“Muitos amigos meus desistiram do caminho, alguns acabaram presos, outros não estão mais aqui. O jiu jitsu salvou minha vida”, diz Soares, que além de treinar no centro de treinamento Honório, improvisar sessões de treino no tatame instalado na garagem de sua casa, persistindo apesar das adversidades.

Um modelo a seguir

Hoje, Pedro Lucas é visto como um farol de esperança e inspiração para muitos jovens em sua comunidade e além. Sua história é um testemunho do poder do esporte como veículo de mudança, oferecendo um caminho alternativo através da disciplina, educação e perseverança.

Às vésperas de sua luta contra Gutemberg Pereira, Pedro Lucas se mantém focado e humilde, reconhecendo a importância de seu papel como modelo para a próxima geração.

“Quero que eles vejam em mim a prova de que é possível seguir seus sonhos e mudar de vida, não importa de onde você vem”, afirma.

Pedro Lucas Soares não é apenas um atleta competindo no ADXC 3; ele é um símbolo de resistência, determinação e esperança. Sua história é um lembrete de que, independentemente das circunstâncias de nascimento, com dedicação e apoio, é possível transcender barreiras e viver dias melhores.