Gugu Azevedo promete luta divertida e “trocar porrada” até nocautear rival no LFA

0
108
Ex-lutador do Bellator encara Richard Jacobi nesta sexta (3), em São Paulo

Após uma passagem pelo Bellator e grandes apresentações, José Augusto “Gugu” Azevedo agora vai ter mais uma oportunidade de mostrar serviço em um outro grande evento de MMA. Nesta sexta-feira (3), o atleta enfrenta Richard Jacobi no Legacy Fighting Alliance (LFA), em evento que acontece em São Paulo.

Ex-lutador do Bellator encara Richard Jacobi hoje (3), em São Paulo

Com um estilo agressivo e por já ter tido a experiência de impor dificuldades ao lendário Anthony Johnson no Bellator, mesmo após quebrar a sua mão direita no primeiro soco desferido na luta, Gugu não espera fazer diferente em sua primeira atuação na nova organização. Por isso, já adiantou que confia na sua trocação para nocautear Richard.

“A minha expectativa é de fazer uma luta divertida. Espero trocar porrada do início ao fim da luta. Eu sei que ele é um striker, então já é o suficiente para mim. Espero fazer uma luta bem violenta e divertida. O meu striking é mais refinado que o dele, então o caminho da vitória é usar minha velocidade e ir machucando ele até conseguir um nocaute”, explicou.

Apesar de ter conseguido duas vitórias em quatro lutas no Bellator, sendo a última em sua mais recente apresentação, quando superou Simon Biyong por pontos, Gugu não teve seu contrato prolongado com a companhia. Este fato não abalou o atleta da Pitbull Brothers que explicou a situação e se mostrou empolgado com sua nova etapa de carreira.

“Tudo ficou muito indefinido no Bellator com essa questão da venda para o PFL e nisso alguns contratos não foram renovados. Eu era muito bem remunerado lá desde a luta contra o Anthony Johnson, posso dizer que o Bellator foi muito correto comigo e cumpriram meu contrato por inteiro. Sou muito grato ao evento por isso e tenho orgulho da minha passagem por lá. Não tenho medo de recomeçar e fico feliz  com essa oportunidade no LFA, que é um ótimo evento. Uma vitrine que nos mostra para o mundo”, disse o lutador.

“Minhas quatro lutas no Bellator foram no peso meio-pesado. Na minha última luta eu lesionei minha mão novamente e passei por cirurgia. Tive que ficar um bom tempo sem treinar, mas fiz academia e meu peso subiu no período. Então optei por competir no peso-pesado, que inclusive era uma vontade minha já quando estava no Bellator. Vencendo no LFA os caminhos para todos os grandes eventos se abrem, aí veremos os próximos passos”, concluiu.