Medalhista de prata do Mundial, Lucas Valente aceita luta de última hora no 3CG

0
161
Lucas Valente foi convocado de última hora para fazer a co-super luta principal da sexta edição do Third Coast Grappling - Foto: Divulgação

Vice-campeão mundial pela International Brazilian Jiu-Jitsu (IBJJF) em 2019, Lucas Valente foi convocado de última hora para fazer a co-super luta principal da sexta edição do Third Coast Grappling , que tem o Grand Prix Absolute valendo 20 mil dólares como atração principal, no dia 3 de abril, em Houston, no Texas. O GP, disputado sem kimono, tem Kaynan Duarte, Nick Rodriguez, Victor Hugo, Tex Johnson, Pedro Marinho, Manuel Ribamar, Mason Fowler e William Tackett na disputa do prêmio.

Lucas Valente foi convocado de última hora para fazer a co-super luta principal da sexta edição do Third Coast Grappling – Foto: Divulgação

Escalado no lugar de Andy Varela, Lucas foi chamado faltando apenas cinco dias para o evento. O aluno de Vinicius “Draculino” Magalhães encara Justin Renick num duelo sem kimono de 7 minutos, onde o campeão é decidido apenas por finalização. O faixa-preta da Gracie Barra vai fazer sua primeira luta sem kimono no ano e ele está atento para as chaves de calcanhar como conta, a seguir:

“Eu venho estudando essa posição há muito tempo, tanto como atacar como defender. Mesmo durante a época das competições de kimono, meu time me ajuda muito e também aprendo muito quando visito o Robson (Gracie) e treino no Renzo, em Nova York. Eu acho que, assim como toda posição ‘nova’ que aparece ou que é legalizada, os atletas que estiverem os fundamentos sólidos e entenderem esta posição vão evoluir”, diz Lucas, antes de comentar como sente para o duelo contra Justin.

“Eu aceitei esta luta no último minuto e faltavam cinco dias para o evento (risos). Como sempre treino para competições, mesmo se não tiver nada marcado, me sinto mais que pronto. Ele é um cara duro, mas acredito que vou conseguir impor meu jogo do começo ao fim para, então, finalizar”, aposta.

Dono de uma guarda ferrenha, Lucas vai testar suas habilidades sem o tradicional paletó de algo. Para ele, a combinação de ataques vai ditar o ritmo do duelo.

“Não acho que muda muita coisa no meu jogo, tirando a mudança de pegadas. Acredito que os conceitos do meu Jiu-Jitsu se mantém o mesmo, que é buscar a finalização e manter os princípios básicos de ataque e defesa. Quero combinar ataques de membro superior e inferior, pegada de costas e estrangulamentos”, projeta Lucas.

O atleta também vai acompanhar de perto as atrações do GP Absolute. Em sua opinião, é “difícil apontar um favorito”, mas ele revela a torcida para Pedro Marinho, seu companheiro de equipe.

“Esse GP está muito irado. É difícil achar um favorito, mas torço para o meu amigo Pedro Marinho, que sei que vai dar show!”, encerra.