Wallid lamenta morte de Antonio Inoki e exalta legado: “Foi gigante!”

0
308

Por Alan Oliveira

Na noite desta sexta, faleceu aos 79 anos Muhammad Hussain Inoki, mais conhecido como Antonio Inoki. Segundo o site “Yahoo Japan”, o japonês vinha lidando com problemas de saúde e morreu em casa. Inoki foi wrestler e um dos precursores do Prowrestling japonês e importante para o Vale-Tudo e MMA.

Aos 14 anos, Inoki veio para o Brasil, competiu no atletismo e retornou ao Japão aos 17, quando iniciou trajetória que o levou a ser um dos astros do wrestling profissional. Em 1976, lutou contra o Muhammad Ali, numa luta pioneira entre modalidades, que terminou empatada. Como era o senador mais popular e amado do Japão, era uma tradição pessoas, lutadores ou não, fazerem fila para receberem tapas no rosto, como um ritual sagrado, de energização. Ao se aposentar, o japonês se tornou apoiador do MMA, criando inclusive o evento Inoki Bom-ba-Ye.

Wallid Ismail era um dos brasileiros mais próximos de Inoki, já que da parceria ambos nasceu o Jungle Fight, que se tornou o evento que mias lança brasileiros no cenário internacional. Ao PVT, Wallid lamentou o falecimento, mas exaltou o legado do amigo.

“Inoki foi gigante! Sempre foi um amigo, sempre me ajudou, ajudou todos por onde passou. Ele me colocou para lutar várias vezes, no PRIDE, no Inoki Bom-Ba-Ye. Foi o cara que me ensinou a ser promotor de eventos. Lembro que uma vez ia promover o Brazilian Dojo, que era para ter um time para lutar MMA. Aí Inoki me disse: ‘Wallid, se você quer realmente ser um grande presidente de evento, você não pode ser ligado a nenhum time. Você tem que trabalhar com todos os times para promover o evento’. Então era uma pessoa inteligentíssima, visionária, que já faz muita falta, mas que agora vai descansar em paz. Meus sentimentos para toda a família”, desejou Wallid.

Inoki em Manaus, no Jungle Fight 1 (Foto: Marcelo Alonso)

Nosso editor Marcelo Alonso ressaltou a importância de Inoki parao MMA do Brasil e do mundo: “Inoki foi fundamental para o vale tudo brasileiro, desde a geração de Carlson Gracie e Ivan Gomes. Foi ele que levou o Ivan para lutar no Japão. Depois levou também Lyoto Machida. Talvez, se não fosse por ele, Lyoto não teria deslanchado. Ele acreditou na ideia do Wallid. Inoki era tão popular no Japão que todo evento tinha que ter um show dele. Ele parou o evento com maior público da história da luta, com 107 mil pessoas, chegando de para-quedas no estádio. Isso foi em 2002, quando Rodrigo Minotauro venceu Bob Sapp. Inoki era um grande apoiador do esporte, e tinha importância monstruosa no Japão e no Brasil”, relembrou Alonso.

Abaixo, galeria de fotos registradas por Marcelo Alonso.