Alex Poatan fatura cinturão meio-pesado linear e se torna primeiro campeão duplo do GLORY

Brasileiro segue fazendo história no kickboxing - Foto: Glory/Divulgação
Brasileiro segue fazendo história no kickboxing – Foto: Glory/Divulgação

Alex Poatan Pereira mais uma vez fez história no ringue do GLORY. Na edição 77 realizada sábado, em Roterdã (Holanda), o brasileiro venceu a super luta contra o russo Artem Vakhitov por decisão dividida, faturou o cinturão linear meio-pesado (até 95kg) e se tornou o primeiro lutador da organização a portar títulos simultâneos em categorias distintas (também detém a cinta dos médios – até 85kg – desde 2017).

Irmã de Poatan, Aline Pereira também esteve em ação no card. Ela disputou o cinturão superbantam (até 55kg), mas perdeu por pontos para a atual campeã, a norte-americana Tiffany VanSoest.

Guerra de nervos

Considerado um dos desafios mais aguardados pelos fãs nos últimos anos, Poatan x Vakhitov fez valer a espera com muita técnica e tensão nos cinco rounds.

Focado nos contragolpes para lidar com a pressão do adversário, o brasileiro acertou bons chutes frontais, joelhadas voadoras e o famoso cruzado de esquerda nas primeiras parciais. Vakhitov apostou pesado nos chutes nas pernas e diretos de direita como base tática.

As vantagens se alternaram praticamente o tempo todo, e o combate pendeu para a margem interpretativa dos cinco árbitros. Estes decidiram que o brasileiro foi o vencedor por decisão dividida.

“Ele é um grande adversário, foi respeitoso o tempo todo. Fizemos um clássico do kickboxing. Fiquei muito feliz com minha performance e mais essa conquista”, afirmou Poatan.

Não deu

Mesmo com vantagem significativa de envergadura, Aline Pereira não conseguiu lidar com a vasta experiência da atual campeã Tiffany VanSoest. Com movimentação pensada e combinações pontuais de golpes, a norte-americana não executou jogo vistoso, mas que foi suficiente para anular as investidas da brasileira e garantir o triunfo por decisão unânime.

Letal

Na disputa do cinturão meio-médio (até 77kg), o atual campeão Cedric Doumbe (França) fez aguardada trilogia contra o holandês Murthel Groenhart. Com trocas de golpes potentes na curta distância, a luta foi franca desde o início.

Doumbe conseguiu o primeiro knockdown logo no assalto inicial, e liquidou a fatura no segundo, com um overhand em contragolpe que nocauteou o oponente.

 Monstro Holandês

Campeão absoluto do pesados (acima de 95kg) desde 2014, Rico Verhoeven enfrentaria o gigante marroquino Jamal Ben Saddik na atração principal da noite. Mas uma lesão nas costas fez o adversário ser retirado do card. O GLORY então criou um GP (torneio) com mais três lutadores para manter a participação de Verhoeven no evento.

Assim, ele enfrentou o também holandês Hesdy Gerges na seminfinal, dominando o oponente nos três rounds com muitas combinações de boxe e chutes nas pernas.

Na final, o ‘Rei do Kickboxing’ enfrentou o marroquino Tarik Khbabez (que havia vencido Levi Rigters, por pontos, na outra chave). Verhoeven novamente impôs pressão calculada e venceu por nocaute técnico no segundo round.