Bia Basílio comenta expectativa para a busca do tricampeonato do Abu Dhabi Grand Slam no Rio

0
137
Bia Basílio é bicampeã do evento (Foto: Divulgação/AJP)

A presença da campeã mundial Bia Basílio promete engrandecer a próxima edição do Abu Dhabi Grand Slam de jiu-jitsu, que volta a desembarcar no Rio de Janeiro nos dias 29, 30 e 31 de julho, na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra, na capital fluminense.

Ela, que já conquistou dois títulos do evento e também é tetracampeã da World Pro Championship, está empolgada para competir em um dos grandes berços do jiu-jitsu. O Rio de Janeiro voltará a receber o Grand Slam depois de quase dois anos de ausência, em razão da pandemia.

Bia Basílio é bicampeã do evento (Foto: Divulgação/AJP)

“Eu tenho certeza que será mais uma vez um grande campeonato, com atletas do mais alto nível em busca da medalha de ouro. Eu, particularmente, gosto muito de lutar os eventos da AJPTour, pois são muito bem organizados e dão uma premiação legal para os atletas – disse Bia, foi campeã do Abu Dhabi Grand Slam do Rio em 2018, na categoria até 64kg.”

Em maio, a brasileira conquistou o título mundial no peso-pena (58.5kg), quando retornou à sua categoria de origem. Ela conta que tem vivido um momento especial na carreira e espera dar sequência à boa fase no Rio de Janeiro.

“Este ano está sendo um ano um pouco diferente para mim. Estou treinando 100% bem, buscando a excelência em todas as áreas com minha equipe multidisciplinar. Estou escolhendo os melhores e com experiências em lutas, porque nada melhor do que ter alguém que entenda o que você está falando na hora de se alimentar, treinar, descansar, recuperar, fortalecer, mentalizar”, declarou a lutadora, animada com o alto nível da edição brasileira do Abu Dhabi Grand Slam.

“É uma disputa com atletas muito fortes. Sem dúvidas é um evento muito grande aqui no Brasil a nível internacional. Eu amo lutar e estar dentro de um card como este aqui no país é gratificante por ver que o esporte vem crescendo aos pouquinhos. Os Grand Slams são uma porta para grandes oportunidades. É bom lutar fora do Brasil, mas também muito motivante estar em casa com uma estrutura tão boa quanto esta”, falou a atleta, que luta na AJP desde a faixa roxa.

Depois do Rio de Janeiro, o Grand Slam desembarcará em de Miami, nos Estados Unidos, em agosto. Além de uma boa premiação em dinheiro, as edições do tour valem pontos para o ranking mundial, que dá vaga para o almejado World Pro, em novembro, em Abu Dhabi.

O World Pro é um objetivo ainda este ano para a paulista de Franca, que se vê em posição de referência para diversos aspirantes à elite do jiu-jitsu no país.

“Eu sei que os eventos estão cada vez melhores e sei o quanto potencial eles têm. Mas acredito que falta suporte para os campeões, falta um um verdadeiro reconhecimento pelos seus feitos e incentivo financeiro para cobrir seus reais gastos, para que tenhamos gerações e gerações de atletas ainda melhores, estruturados e motivados a buscar este caminho. Eu fico feliz de ver que existem pessoas que fazem para que isso que eu estou dizendo seja, realizado, e cada vez mais vamos ter este resultado que queremos para o nosso esporte.”

Em 2022, o evento já teve duas edições no primeiro semestre: em Londres, na Inglaterra e, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.