Brasileiro Carlos Tizil tem disputa de cinturão marcada no LFA: ‘Título é o passaporte para chegar ao UFC’

Tizil pode ser o próximo brasileiro campeão no evento americano - Foto: Divulgação

Invicto no MMA, com cinco vitórias contabilizadas, e com apenas 25 anos, Carlos Mota “Tizil” está pronto para fazer a luta mais importante da sua carreira até o momento. No próximo dia 19 de fevereiro, o brasileiro vai disputar o cinturão peso-mosca do LFA diante de Victor Altamirano, na edição de número 100 da companhia, que vai acontecer em Kansas, nos Estados Unidos.

Com somente uma luta na organização, que ocorreu em novembro de 2019, quando derrotou George Martinez por nocaute em apenas 36 segundos de combate, Tizil se vê preparado para alçar voos cada vez maiores. Profissional nas artes marciais mistas desde 2016, após fazer uma luta no MMA amador, o atleta precisou ter paciência até sua disputa de cinturão ser oficializada. Isso porque, por conta da pandemia da Covid-19 e das restrições de viagem para os Estados Unidos, Carlos passou o ano de 2020 sem lutar. Em entrevista , porém, o casca-grossa falou que o período foi importante para evoluir importantes áreas do seu jogo.

Tizil pode ser o próximo brasileiro campeão no evento americano – Foto: Divulgação

“2020 foi um ano um pouco parado em questão de eventos para a gente, mas continuamos nosso treinamento, tivemos tempo para aprender muitas coisas, trabalhar nosso emocional. Meu treinador, Francisco Bueno, trabalha muito bem isso. O tempo sempre é bom para todos, quando a gente faz as coisas certas, o tempo nos fortalece em todos os sentidos. Me sinto um atleta bem evoluído, mas com muito a aprender e evoluir sempre. Esse tempo foi importante para ganhar bagagem e melhorar várias coisas no meu jogo. Foi um ano bem produtivo”, destacou Tizil, que agradeceu pela oportunidade de disputar o cinturão peso-mosca do LFA e fez uma análise do seu adversário visando o importante confronto.

“Fiquei feliz demais, porque é uma grande oportunidade em um evento que abre portas para atletas irem para eventos maiores, como o UFC. Agradeço à organização, e também ao Ed Soares (CEO do LFA) e ao Joinha (empresário). Com apenas uma luta na organização, chego à disputa de cinturão e vou abraçar a oportunidade. Meu adversário é um cara duro, que vem numa sequência boa de vitórias. Tem um nome forte na organização por ter feito muitas lutas por lá, mas estou pronto. A gente teve uma luta marcada contra ele há um tempo, mas na época não rolou, porque tive problemas com o visto. Até meu treinador falou que essa luta seria remarcada futuramente e aconteceu. Trabalhei por muito tempo, tenho feito um belo trabalho com meu treinador, que é um cara excepcional, o melhor que nós temos. Estamos fazendo um trabalho incrível e agora chegou a hora de mostrar isso dentro do cage.”

Em caso de vitória e, consequentemente, com a conquista do cinturão peso-mosca do LFA, Carlos Mota entrará em outro patamar no MMA. O Legacy Fighting Alliance é um dos principais eventos de MMA dos Estados Unidos e é “porta de entrada” para as principais companhias, como Bellator e UFC. Com grandes planos para sua carreira, o atleta nutre o sonho de chegar ao Ultimate e um bom triunfo sobre Victor Altamirano pode “encurtar” o caminho até a organização.

“Acredito que (a conquista do cinturão peso-mosca do LFA) é um passaporte para chegar ao UFC, com certeza, porque a maioria dos atletas que fazem parte do LFA migram para o Ultimate. Estou acreditando na minha boa fase, até mesmo na fase do UFC, que está precisando de atletas dessa categoria e com o meu perfil. Sem dúvida, eu considero que esse sonho está próximo de ser realizado, mas é um passo de cada vez. Estou focado nessa disputa de cinturão, em fazer um belo trabalho, e depois olhar para frente e acreditar ainda mais no sonho de estar no UFC”, projetou.

Treinador de Carlos Tizil, Francisco Bueno acompanha há anos o seu pupilo e é peça fundamental da grande evolução que o lutador vem apresentando ao longo do tempo. Animado com a oportunidade do atleta em disputar o título, “Chicão” também exaltou o quão essencial foi o longo período de treinos para Tizil e tem plena confiança na vitória do atleta no próximo dia 19.

“O período sem lutar era o que a gente precisava. Foi uma evolução de décadas, não foi só de um ano de pandemia. Tudo acontece no tempo certo e na hora certa, então ele esta muito preparado, vai chegar para essa disputa de título em sua melhor versão, o resultado à história pertence. Esse cinturão é dele, do Brasil, isso é questão de tempo. Chegou a hora de ir para o UFC. Ainda temos uma jornada para amadurecer um pouco mais, a evolução é contínua e o Tizil já entendeu isso perfeitamente. É um atleta extremamente dedicado e talentoso. A hora chegou e tenho certeza que em breve vocês vão ver o melhor atleta peso-por-peso”, concluiu.