Brasileiro promete aniquilar compatriota em estreia no LFA e solta o verbo contra ex-parceiros de American Top Team

Brasileiro é considerado uma grande promessa do MMA - Foto: Rubinho Bueno

Apesar de ter apenas 23 anos de idade, o peso-pena Guilherme Prodígio possui uma rodagem de veterano no MMA. Filho do faixa-preta de Jiu-Jitsu Ocimar Costa, que treina John Lineker, o manauara estreou no amador aos 14 anos de idade, venceu as quatro lutas que fez e aos 16 já lutava entre os profissionais. Seu talento o levou cedo à American Top Team. Hoje na equipe de Urijah Faber e com o cartel de oito vitórias e duas derrotas, ele se prepara para, nesta sexta, dia 20, estrear no LFA, evento que mais exporta atletas para o UFC. 

Brasileiro é considerado uma grande promessa do MMA – Foto: Rubinho Bueno

Seu primeiro desafio na nova organização será contra o compatriota Bruno Assis, aluno da escola Machida de Karatê. Conhecido no cenário nacional por ser um adepto agressivo do trash-talk, Prodígio não mediu palavras para falar sobre o adversário, e ainda sobrou para seus ex-companheiros de ATT.

“Se o UFC quiser ver uma aniquilação de lutadores da Chute Boxe e da American Top Team dentro do seu evento é só eles me ligar depois desta luta no LFA. Prometo fazer a extinção de lutadores dessas duas academias dentro do UFC. O convite do show é esse: você quer ver um karateka sendo nocauteado numa de luta de MMA com um golpe de Karatê? Assistam no LFA 95 o Guilherme Prodígio”, convidou, de forma nada republicana. 

Confira a entrevista completa logo abaixo:

PVT: Onde está treinando atualmente? 

Guilherme Prodígio: Hoje posso dizer que realizei um sonho de fazer parte da Team Alpha Male/Urijah Faber Ultimate Fitness. Sempre tive seus atletas como inspiração, dentro do cage e fora dele, gostava de assistir programas como “um dia da vida WEC” e acompanhava a rotina do Faber, Chad Mendes. Assistia sempre antes dos meus treinos para ter vontade de treinar, e hoje minha vida está assim! Estou pegando estrada para treinar tendo todas as facilidades alimentares e suplementares que o Estados Unidos oferece. Tenho uma filha americana que fez 7 meses agora, e sinto que o topo se parece com isso. A oportunidade no LFA veio através da Team Alpha Male, aceitei a luta com 15 dias e é tempo mais que o necessário.

PVT: Analisando o seu adversário, que também é brasileiro, como você imagina que a luta vá se desenrolar?

Guilherme Prodígio: Existe um ditado que diz que, quando você pega um pato, se você não o mata, deixa ele todo depenado. Bruno, seu lixo, não vai ficar se defendendo com a nuca. Essa merda de desculpa que você fingiu ter apagado para ganhar sua última luta aqui não vai dar certo, todo mundo viu você apanhando igual a uma gazela; se você fingir que está apagado eu vou pisar na tua cabeça com os dois pés, só de maldade. Vou te mandar de volta pra classe de ‘toma-mijo’ do Lyoto machida. 

PVT: O LFA é o evento que mais exporta lutadores para o UFC. Acredita que esta pode ser a sua hora? 

Guilherme Prodígio: Se o UFC quiser ver uma aniquilação de lutadores da Chute Boxe e da American Top Team dentro do seu evento é só eles me ligar depois desta luta no LFA. Prometo fazer a extinção de lutadores dessas duas academias dentro do UFC. O convite do show é esse: você quer ver um karateka sendo nocauteado numa de luta de MMA com um golpe de Karatê? Assistam no LFA 95 o Guilherme Prodígio.

PVT: Você é considerado uma grande promessa desde muito novo. Como era para você receber essa pressão?

Guilherme Prodígio: Eu vi Darren Till estreando no MMA e depois de um tempo lutando pelo cinturão do UFC. Quase todos meus amigos estão no UFC e todos eles sabem que apanham para mim. É normal, com 17 anos eu já chutava a bunda do Dustin Poirier, finalizava o Thiago Moises, derrubava o Masvidal, fazia o Adriano Morais se perder no jogo de pernas… a diferença é que no final do dia todos pegavam seus carrões e iam embora, e eu pegava minha bicicleta. Eu só era o Prodígio, aquele moleque novo que um dia vai ser campeão. Eu sempre fui o diamante guardado para melhor hora, mas chega uma hora que se você não mostra o diamante, ele mesmo mostra seu brilho!