CBBoxe faz balanço do primeiro ano do ciclo para Paris 2024

0
56
Brasil encerrou com números positivo o primeiro ano do ciclo para Paris 2024 - CBBoxe

Modalidade que mais vem trazendo medalhas para o Brasil nas últimas Olimpíadas, o boxe brasileiro teve um excelente aproveitamento no primeiro ano do ciclo para Paris-2024. Nesta semana, a Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) divulgou um balanço dos números alcançados pelo time olímpico nesses 12 meses.

Segundo do atual ciclo olímpico, 49 atletas da Equipe Olímpica Permanente (adulta e juvenil) participaram de 15 eventos Internacionais. Foram nada menos do que 338 lutas disputadas fora do Brasil em 2022. Ao todo, 49 atletas conquistaram 113 medalhas após 255 vitórias, sendo 70 de ouros, 21 de prata e 22 de bronzes.

Brasil encerrou com números positivo o primeiro ano do ciclo para Paris 2024 – CBBoxe

Dentro desse universo estatístico, 28 atletas da equipe Adulta realizaram 288 lutas internacionais. Foram 233 vitórias e 93 medalhas conquistadas: 65 ouros, 17 pratas e 11 bronzes.

O Brasil também foi Campeão por Equipes em seis competições internacionais: Bocsksai Tournament (Hungria); Campeonato Continental (Equador); 52º Grand Prix Ústi Nad (República Tcheca); Grand Prix Internacional (Brasil); Jogos Sul-Americanos (Paraguai); e Tammer Tournament (Finlândia).

“Uma medalha olímpica não se conquista nas semifinais ou na grande final, após o breve tempo de luta, que não dura mais do que quinze minutos. A glória olímpica é construída aos poucos, durante quatro anos de muito trabalho”, exalta a CBBoxe em comunicado no site oficial da entidade.

Confira abaixo outras parte da nota:

“Na CBBoxe, a conquista se inicia no planejamento e aplicação dos recursos financeiros anuais. As competições internacionais são fundamentais para que os nossos atletas enfrentem diferentes adversários e entrem em ritmo de competição. Isso exige investimento e correta aplicação de recursos a partir de um trabalho criterioso da administração da entidade. As bases de treinamento organizadas pela Comissão Técnica da CBBoxe também são alvo de constante investimento financeiro. São peças fundamentais para o desenvolvimento e acompanhamento de novos talentos. O atendimento para os atletas da Equipe Olímpica Permanente é completo. Temos uma equipe multidisciplinar com médico, psicólogo, dois fisioterapeutas, massagista e nutricionista que atua incansavelmente para ajudar a equipe a cumprir as metas esportivas do ano.”

Principais conquistas em 2022 e projeção para 2023

Em 2022 a seleção conquistou duas medalhas no Campeonato Mundial feminino, realizado na Turquia. Beatriz Ferreira (60kg) conquistou a medalha de Prata. Caroline Almeida (52kg) conquistou a medalha de Bronze. As lutadoras do Brasil venceram nove das 13 lutas que disputaram.

Nos Jogos Sul-Americanos de Assunção, no Paraguai, o boxe do Brasil conquistou dez medalhas: sete de ouro, duas de prata e uma de bronze. Foram 22 vitórias de 27 lutas disputadas.

O Brasil encerrou o Campeonato Continental de Boxe, em Guayaquil, no Equador, com sete medalhas de ouro, duas de prata, e mais três de bronze. Foram 28 triunfos em 38 combates disputados.

“Tivemos um ano de 2022 muito bom nos aspectos técnico, tático e esportivo. Nossa equipe técnica trabalha com muito foco nos resultados esportivos. Somos um treinador e mais quatro assistentes técnicos. Trabalhamos em 2022 com todas as áreas: interdisciplinar, técnica e administrativa de forma muito integrada. Assim conseguimos alcançar os expressivos resultados deste ano”, afirma o treinador principal da Equipe Olímpica, Mateus Alves.

“Já estamos focados nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, que serão classificatórios para os Jogos Olímpicos Paris 2024. Vamos continuar trabalhando de forma integrada e conquistar o maior número de medalhas possível”, completou Alves.

Desempenho individual

O desempenho individual dos atletas da Equipe Olímpica Permanente também foi positivo, com cinco dos atletas encerrando 2022 invictos. Veja alguns dos desempenhos da equipe adulta:

Abner Teixeira (+92): 22 vitórias, uma delas por nocaute.
Bárbara Santos (66kg): 14 vitórias
Luiz Oliveira (57kg): 18 vitórias, duas por nocaute
Wanderley Pereira (80kg): 17 vitórias
Beatriz Soares (66kg): 7 vitórias
Beatriz Ferreira (60kg) 17 vitórias e uma derrota (Final do Campeonato Mundial)
Keno Marley (92kg) 19 vitórias e uma derrota (Final dos Jogos-Sul-Americanos)
Wanderson Oliveira (71kg) 24 vitórias e uma derrota.