Flamengo e LBV firmam parceria para fortalecer projeto social de luta

0
179
Colored smoke on a dark background. Blue and red light with smoke.

O Flamengo abriu as portas para o projeto social Geração UPP, que há 14 anos, numa parceria entre Legião da Boa Vontade, Polícia Militar e instituições privadas, leva a filosofia e as técnicas das artes marciais, além de atividades culturais, a crianças e jovens de comunidades cariocas. Além deste, o apoio ao Pequenos Gigantes, projeto de futebol para crianças e que tem quadras dentro dos batalhões de polícia, também foi articulado.

Colored smoke on a dark background. Blue and red light with smoke.

Na última quinta-feira (11), numa reunião realizada na sede do clube, na Gávea, as instituições alinharam uma parceria que visa a capacitação de professores/policiais e diversas ações em conjunto para promover um impacto positivo a crianças e jovens atendidos pela tanto pela LBV e também os alunos do Geração UPP.

“É uma honra para o Flamengo estar junto com a LBV e a Polícia Militar. Temos os mesmos objetivos e podemos somar. A reunião foi ótima e temos várias possibilidades de parceria para impactar as pessoas que mais precisam”, disse o vice-presidente de responsabilidade social do Flamengo, Ricardo Campelo.

“O objetivo do nosso departamento é devolver essa energia que a gente recebe do povo através de oportunidades aos que mais precisam. Nosso departamento existe desde 2019 e de lá para cá a gente reforça projetos sociais e mantém programas de inclusão para moradores de comunidades, imigrantes e refugiados”, complementou.

Além de Ricardo Campelo, ainda participaram da reunião realizada nessa quinta-feira o vice-presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Fábio Domingos; o major PM Vinicius Oliveira; e o departamento de Relações Institucionais da Super Rádio Brasil AM 940.

Fundado no ano de 2009, o Geração UPP tem como principal objetivo instruir os jovens de comunidades e consequentemente impactar positivamente toda a vizinhança através dos valores milenares das artes marciais, formando cidadãos e, possivelmente, futuros professores de jiu-jitsu.

Além da LBV, Super Rádio Brasil AM 940 e Polícia Militar do Rio de Janeiro, o projeto também é mantido graças ao apoio da Prime Esportes, Boomboxe, Tintas Nacional, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado da Polícia Militar e Secretaria de Estado de Esporte e Lazer.