M1 Russia VS World: Buscapé e Miltinho dão show no chão em goleada russa

0
296
Miltinho deu uma aula de chão e venceu Magomed Djabrailov

Hoje os russos disputam cabeça a cabeça com Brasil e EUA o posto de maior potência do MMA mundial. Antes da era Fedor começar, os lutadores brasileiros cansaram de ir ao país de Vladimir Putin jogar chopp na Vodka dos caras. Cinco anos após acompanhar Roberto Traven e Leonardo Castello Branco roubando a cena em dois eventos seguidos em Moscou, voltei ao país para cobrir mais duas vitórias brasileiras, só que desta vez no M-1: Russia contra o mundo, realizado no dia 6 de abril de 2002 em St Petesburgo. Enfrentando atletas do Brasil, Espanha, Noruega, Estados Unidos, Holanda, França e Dinamarca, os russos já começavam a mostrar evolução, vencendo de virada. Mas o Brasil fez sua parte marcando duas vitórias com Milton Vieira e Junior Buscapé 

Fotos e reportagem: Marcelo Alonso

Depois de conquistar o cinturão dos leves nocauteando o idolo local sergey Bitchkov em 2002, Buscapé voltou em 2003

Baseados num jogo de muita força e valentia, os atletas do RDT (Red Devil Team) venceram sete das doze lutas disputadas, com quatro vitórias para a seleção do Resto do Mundo e um empate. 

Mas a equipe do resto do mundo começou a frente com um belo triângulo aplicado pelo coreano naturalizado norueguês, Thomas Moon Lee (68,6kg), em cima do russo Maksim Rudenski (69,7kg), que bateu a 1min10s do 1o round. 

Com o apoio da torcida de quase 4 mil pessoas que lotou o ginásio, os russo empataram num combate duro entre o holandês Furdeil de Windt (73kg) e o local Islam Karimov (72kg). Karimov dominou a luta aplicando várias quedas no holandês. No final, porém, quase foi surpreendido com uma raspagem e uma montada. Mas o russo resistiu até o final dos 10 min e venceu por pontos.

Na terceira luta a equipe russa virou o jogo (2×1) com um espetacular nocaute aplicado por Nikolai Kudryashov (85kg) no boxer francês George Nunga (85kg), levando a torcida a loucura: “Russia ! Russia !.             

Mas o brasileiro Milton Vieira (77kg), faixa preta de Luta-Livre, empatou novamente o jogo vencendo por pontos o russo Magomed Djabrailov (80kg) depois de dar-lhe um verdadeiro show de chão. (2×2)

Miltinho venceu Magomed Djabrailov

Os russos viraram novamente na Quinta luta quando o espanhol Antonio Navarro, depois de quase nocautear e finalizar Aleksei Vaselovzorov (86kg), acabou cansando obrigando os médicos a interromperem a luta graças a um corte em seu supercílio a 6min22s. (3×2)

Mas a disputa ainda estava longe do final e o holandês Melvin Manhoef (94), da famosa equipe Golden Glory, provou isto nocauteando o experiente Alesandr Garkushenko (97kg) e empatando mais uma vez a peleja (Russia 3 x 3 resto do mundo).

Na sequência ocorreu o único empate do evento numa luta duríssima entre o maior ídolo local Andrei Semenov (83kg) e o até então desconhecido Mike Pyle (85kg). Aluno de Pedro Valente (faixa preta de Rickson Gracie), o americano dominou completamente as ações no chão e merecia a vitória mas os juízes nacionalistas resolveram decretar o empate e acabaram vaiados até pela torcida local. ”Acabei montado batendo nele pelas costas e ainda estalei o seu braço várias vezes. Sinceramente não entendi este resultado” disse revoltado Pyle, sem dúvida a maior revelação do evento. 

A disputa entre os dois times estava empatada até que os lutadores pesados da equipe do resto do mundo entregaram a vitória de bandeja para os russos, que venceram quatro lutas contra apenas uma do time do mundo.

Martin Tondryk (95kg) da Dinamarca foi facilmente nocauteado em 18s pelo campeão russo de Muay Thai Sergei Kaznovski (112kg). 

Thomas Rahders (102kg) da Noruega durou ainda menos nas mãos de Roman Zentsov (101kg) que só precisou de 12s para derruba-lo.

Na sequência o Holandes Valentin Overeem (103kg), irmão de Alistair, deixou os russos dispararem na frente (6×3) batendo para Ibragin Magomedov (109kg) com socos na guarda a 3min22s. 

Na penúltima luta da noite o paraibano Luiz Firmino “Buscapé” Jr. não se deixou abalar pela temperatura de 11 graus negativos e venceu o armênio Musail Allaydinov com facilidade. O brasileiro, que na quarta edição do evento (em 26 de abril de 2002) ganhara o cinturão Lightweight, nocauteando o ídolo local Sergei Bitchkov, mais uma vez saiu consagrado. Como todos os representantes locais, Musail mostrou muita valentia, escapando na raça de várias posições encaixadas pelo paraibano. Mas o total domínio no chão do faixa preta de Jiu-Jitsu não deixou alternativa aos juízes que decretaram sua vitória (6×4).  Na última luta da noite a estrela russa Arman Gambaryan (91kg) finalizou o duro espanhol Ruben Vasquez (93kg) com um armlock a 5min44s completando a goleada russa 7×4. 

As excelentes atuações no M-1 levariam diversos lutadores deste card para o Pride nos anos subsequentes. Dentre Eles Zentsoz, Semenov, Miltinho Vieira e Junior Buscapé.