Nova geração brasileira tenta confirmar favoritismo no GP absoluto do Third Coast Grappling 6

0
62
Evento será realizado sábado (3/4) com regras 'No Gi' e distribuirá US$ 20 mil e acontecerá no Texas
Oito lutadores entrarão em ação neste sábado (3/4), na sexta edição do Third Coast Grappling, que acontecerá em Houston, Texas (EUA). Sob o formato de GP e com regras ‘No Gi’ (sem kimono), o torneio será no absoluto (peso livre). A premiação para o campeão será de US$ 15 mil (com US$ 5 mil para o vice). O regulamento agrega o melhor das regras baseadas em pontos e das regras que só visam finalização para propiciar mais movimentação e menos amarração.

Victor Hugo (peso-pesado, 23 anos), Manuel Ribamar (médio, 27), Kaynan Duarte (pesado, 23) e Pedro Marinho (24, médio, naturalizado americano) representarão a tradição brasileira no tatame contra quatro norte-americanos.

Evento será realizado sábado (3/4) com regras ‘No Gi’ e distribuirá US$ 20 mil e acontecerá no Texas

“A herança que carregamos na luta agarrada intimida naturalmente. Mas em eventos em que os lutadores são escolhidos a dedo como esse, as chances se equivalem. Então esse tipo de pensamento não acontece tanto, ou se torna secundário. Já lutei duas vezes esse evento, estou acostumado com as regras. Isso é bastante favorável”, afirmou Victor Hugo, que foi campeão mundial absoluto IBJJF em 2019 e enfrentará um dos prodígios do jiu-jitsu norte-americano William Tackett no primeiro desafio.

Outro favorito ao título, Kaynan Duarte crê nos detalhes técnicos como diferenciais. “São oito caras muito experientes. De imediato, não vejo nada que pese ou favoreça alguém. Talvez se apegar na regra no momento do ‘golden score’ (se houver empate, a luta vai para a prorrogação e o primeiro ponto define a vitória) faça a diferença para alguns, afirmou o faixa-preta de jiu-jitsu, que tem no currículo títulos Mundial, ADCC e Abu Dhabi World Pro, e estreará contra Tex Johnson. “Não tenho nenhuma preferência para encarar se chegar à final, mas acredito que será contra o Victor Hugo”, completou.

“É sempre uma honra trabalhar com atletas do Brasil. É por causa desse país que hoje temos o nosso evento e tantos outros. Sabemos que os fãs brasileiros gostam mais de lutas com kimono, mas queremos começar a mudar essa mentalidade a partir de sábado, com excelentes combates. Fizemos até um preço mais acessível para o país. Assinem e não se arrependerão!”, disse o presidente do Third Coast Grappling Ryan McGuire.