Novo campeão do LFA, Geraldo ‘Luan Santana’ aguarda chamado do UFC

0
268
Geraldo Luan Santana é o novo campeão do LFA - Divulgação/CMSystem

Quem assistiu ao pleno domínio de Geraldo “Luan Santana” Neto sobre Magnus Conrado na luta principal do LFA 166, no último sábado (02/9), em Cajamar-SP, mal podia saber que o lutador da CMSystem enfrentava, além do adversário, uma incômoda lesão no joelho, que o obrigou a aplicar uma tática conservadora.

Geraldo Luan Santana é o novo campeão do LFA – Divulgação/CMSystem

“Foram cinco rounds de domínio, fiz o que precisava ser feito e saí campeão mundial. Queria ter nocauteado ou finalizado, tive oportunidade, mas preferi ser conservador para garantir os rounds, pois estava sentindo muita dor.”, relatou o novo campeão dos meio-médios do LFA.

Além da conquista do almejado cinturão do evento norte-americano, Geraldo “Luan Santana” chegou a marca de seis vitórias consecutivas, ampliando seu cartel profissional para 18 triunfos em 24 combates disputados. A esperança agora é de receber o chamado do maior evento de MMA do planeta.

“Era a cereja que faltava para conquistar este contrato. Foi mais um passo para chegar ao UFC. Acredito que este cinturão vai abrir as portas para mim. O UFC é o evento que todo mundo quer chegar, mas não descarto a possibilidade de ir para a PFL ou para o Bellator, dependendo da proposta.”, avisou.

Mentor orgulhoso

Treinador de Geraldo “Luan Santana”, Cristiano Marcello exaltou as qualidades de seu atleta, especialmente a resiliência para se adaptar a um cenário desafiador. Isso porque o meio-médio, como supracitado, precisou superar uma lesão no joelho que o assombrou durante o camp.

“Estava há três semanas praticamente só na preparação física e na fisioterapia por conta de uma lesão no joelho, mas a gente sabia que ele não poderia perder essa oportunidade de ouro. Por isso a gente traçou uma estratégia comedida, para não arriscar muito.”, explicou o líder da CMSystem.

“O Geraldo é um atleta com um vigor físico absurdo, muito agressivo e sempre que entra no octógono é para nocautear ou finalizar, o cartel dele reflete isso. Ele é agressivo, técnico, muito disciplinado taticamente e mostrou isso tendo discernimento e calma para pôr em prática a estratégia.”, complementou.