Pantoja se dispõe a enfrentar Mokaev no UFC Rio e revela surpresa vivida no México

0
223

Alexandre Pantoja viajou para o México para assistir ao UFC Fight Night 237, especialmente à luta principal entre Brandon Royval e Brandon Moreno, com duas certezas na bagagem: que a luta principal, entre Brandon Moreno e Brandon Royval, definiria seu oponente no UFC Rio, e que seria recebido de forma hostil pelos fãs mexicanos. Porém, em entrevista exclusiva ao PVT, mostrou uma dupla surpresa.

Número 8 do ranking, Mokaev parece o adversário certo, desde que vença Perez e não se machuque seriamente

“Pensei que seria ofendido pelos mexicanos e foi exatamente o contrário. Eles me receberam com muito carinho e até gritaram ‘Ei, hermano, Pantoja é mexicano'”, revelou Pantoja, indicando preocupação com o fato de o vencedor ter saído da luta mancando (mais tarde, Royval postou que rompeu os ligamentos do joelho).

“Eu acho que todo o cenário foi montado para o Moreno vencer e vir ao Rio. A luta foi muito equilibrada, e a vitória do Royval por decisão, meses depois de eu ter vencido cinco rounds contra ele, mostra o nível em que estou. Se o UFC não fez nenhuma promoção após a luta, deixou claro que não deve estar interessado em fazer essa luta novamente no UFC 301”, analisou o campeão dos moscas.

Com a lesão de Royval, surgiu a dúvida de quem enfrentaria Pantoja no UFC no Rio, dia 4 de maio. Porém, o brasileiro não esconde o desejo de permanecer no card, mesmo se for enfrentar Muhammad Mokaev, 8º do ranking, que ainda enfrenta Alex Perez no próximo sábado.

“Royval rasgou o ligamento e eu acabei de vencê-lo, Manel Kape não bateu o peso para lutar com Nikolau, Albazi fez cirurgia agora. Na verdade, minha categoria é uma das mais competitivas. Se você colocar o número 20 nos moscas, ele tem toda chance de me dar uma luta difícil. Tudo depende da combinação de lutas”, disse Alexandre.

“Estou disposto a provar meu valor contra quem o UFC escolher. Não tenho problema em dar oportunidade aos menos ranqueados. Se o UFC quiser trazer campeões do Shooto, LFA ou até ter um confronto com o Mokaev, se ele vencer o Perez bem no sábado, estarei pronto. O mais importante para mim seria poder defender esse título na minha cidade, o Rio de Janeiro”, finalizou o lutador nascido em Arraial do Cabo e radicado no Rio.