Patrick Gaudio analisa adversário no BJJ Stars e destaca importância do Wrestling em seu jogo

Patrick Gaudio representa o Brasil na superluta contra o americano Devhonte Johnson no BJJ Stars IV, marcado para o dia 14 de novembro em São Paulo-SP. Gaudio tenta mais uma vitória na organização, desta vez com uma apresentação mais vistosa. Na anterior, ele superou Erberth Santos num combate sem muitas emoções.

“Naquela luta eu estava muito pesado, então fiquei lento, senti muito o peso. Estava com 104 kg, 105 kg; agora estou com 100 kg de kimono, estou mais leve, me sentindo mais rápido e mais solto para mostrar um Jiu-Jitsu melhor nesta luta”, destaca o faixa-preta.

Em relação ao que vai levar de armas para o embate contra Devhonte Johnson, Patrick Gaudio afirma que não preparou nada de especial, a não ser a sua filosofia de jogo de sempre: dar o melhor.

“Conheço ele desde a faixa-roxa. Pelo que vi do jogo dele, ele gosta de passar emborcando, é bem forte fisicamente. Não tenho uma estratégia definida para ele, mas vou chegar e colocar meu Jiu-Jitsu para funcionar, dar meu melhor e lutar os 10 minutos sem parar um segundo. Essa é a minha estratégia para todas as lutas.”

Eficaz nas entradas de pernas e bastante competente quando está por cima dos oponentes, Patrick Gaudio tem como aliado ao seu jogo no Jiu-Jitsu o seu histórico no Wrestling. Ex-integrante da seleção brasileira, ele destaca os benefícios da união das modalidades.

“Me especializei no Wrestling quando era juvenil, fui da seleção brasileira por dois anos e isso me deu uma bagagem muito forte para o Jiu-Jitsu, me ajuda a entrar nas pernas rápido, uma base melhor por cima. Tem muita posição que eu aprendi no Wrestling que eu consigo colocar para funcionar de kimono”, explicou.