Wanderley Pereira garante primeiro cinturão do Brasil no Grand Prix Internacional

0
134
Wanderley Pereira conquistou o título na categoria até 80kg - Lázaro Viana / @lazarovianafoto

Depois da realização de mais 26 combates no segundo dia do Grand Prix Internacional de boxe, em Brasília, o Brasil confirmou seu primeiro título na competição. Na disputa do 80kg masculino, Wanderley Pereira venceu sua luta nesta quinta-feira (20) e garantiu o cinturão da categoria. Além disso, os brasileiros levaram mais 15 triunfos no ringue montado no Ginásio Nilson Nelson.

Wanderley Pereira conquistou o título na categoria até 80kg – Lázaro Viana / @lazarovianafoto

O primeiro cinturão brasileiro saiu após a conquista da segunda vitória do Holyfield no torneio. Ele bateu o colombiano Sergio Moreno, em combate que se encerrou no segundo round, quando a arbitragem interrompeu a luta e decretou a vitória por RSC. “Foi uma luta muito boa, escolhi colocar um pouquinho mais de ritmo, escutei bem os técnicos e a gente fez o que tava programado”, analisou Wanderley. O brasileiro já confirmou seu título, pois o alemão Silvio Shierli, seu adversário no terceiro confronto, sofreu uma lesão grave no bíceps e não poderá subir no ringue no próximo sábado (22).

A primeira luta do time principal contra a equipe da Colômbia ocorreu na categoria até 51kg, onde Michael Trindade mediu forças com o colombiano Alan Ospino. Com um um domínio bastante evidente nos dois primeiros rounds, ele encaminhou seu triunfo por unanimidade. Outro que sobrou na sua disputa foi Luiz Oliveira, no 57kg. Bolinha não tomou conhecimento de Alexander Brito e venceu a luta pelo placar de 5 a 0.

No 63,5kg, Cleisson dos Santos e Duvan Zulueta se enfrentaram no Ginásio Nilson Nelson. Encaixando as investidas de maior potência, ele levou a melhor nos três assaltos e garantiu seu primeiro triunfo no evento. Logo depois, foi a hora de Wanderson Oliveira, o Shuga, entrar em ação diante de Jhonatan Chalá no 71kg. Apresentando uma ótima atuação desde o começo, ele saiu com a vitória na decisão unânime. “O combate eu já sabia que ia ser intenso, porque ele é um cara que não respeita nós, e tem que respeitar, nós estamos em casa e somos brasileiros”, falou o atleta. Finalizando os duelos no masculino, Keno Marley (92kg) e Abner Teixeira (+92kg) superaram, respectivamente, Jhojan Caicedo e Sebastian Murillo, ambos por 5 a 0.

Seis vitórias marcaram as lutas no feminino

As primeiras boxeadoras da seleção brasileira a vencerem seus confrontos no feminino foram Caroline Almeida (50kg) e Tatiana Chagas (54kg). A primeira passou com facilidade por Yerlin Quiñones e derrotou a sua rival por 5 a 0. O mesmo ocorreu com a segunda atleta, que bateu Leidys Rivas por decisão unânime. “Fui na raça, usei a minha experiência para sair com a vitória”, comentou Tati. Ambas encaminharam os cinturões nas respectivas categorias. Outra que está com o título próximo é Jucielen Romeu, que superou Kely Benitez no 57kg. Ela foi melhor nos três rounds e finalizou sua participação no dia triunfando por unanimidade. “O caminho é sempre ouvir os nossos técnicos, eles têm uma visão diferente de quem tá lá em cima, deu tudo certo”, disse a pugilista.

Beatriz Ferreira, na chave até 60kg, dominou o duelo diante de Claudia Montoya. Conectando os golpes de maior potência, ela levou os assaltos iniciais por 4 a 1. Logo depois, ela repetiu a dose e confirmou sua vitória. “Uma luta legal, pude soltar um pouco mais, tá dando certo o que a gente tá treinando. Sábado tem de novo”, contou Bia. Na sequência, Barbara Santos competiu no 66kg e venceu Camila Isabela, em duelo que terminou no placar de 5 a 0. Por fim, Viviane Pereira (75kg) se recuperou da derrota na estreia e derrotou Heidid Marques por unanimidade.

Demais brasileiros

A seleção brasileira também está presente em Brasília com quatro atletas reservas em suas respectivas categorias. No 51kg, Wendel Barbosa entrou em cena para enfrentar o alemão Miles Okay. Ele largou em vantagem no primeiro round, vencendo por 5 a 0. Depois, Capitão, como é conhecido, manteve a dominância nas parciais seguintes e fechou sua primeira vitória em unanimidade. “Combate muito duro, um atleta experiente, mas pude sair vitorioso, segui os comandos do Dal e do Didio (técnicos do Brasil) e deu tudo certo”, falou Wendel.

Na sequência, foi a vez de Breno Carvalho, no 63,5kg, subir no ringue para encarar Ousainou Hansen, da Alemanha. Aplicando os melhores golpes e com um ótimo trabalho de pernas, Zé Bim não deu chances ao adversário e triunfou por decisão unânime. “Mais uma vitória aí para o Brasil, eles aqui não tem vez, aqui é Bahia”, celebrou o pugilista. Na chave até 92kg, o paulista Ramon Batagello enfrentou o também alemão Tyron Amo. Controlando as ações do confronto, ele saiu com a vitória por 5 a 0. “Foi uma luta boa, to preparado para a final, vambora daquele jeito”, destacou Ramon. Por fim, no acima de 92kg, Joel Ramos acabou derrotado para Nikita Putilov, em combate que encerrou no placar de 4 a 1.

Já nos combates envolvendo apenas atletas estrangeiros, destaque para a Argentina, que levou cinco vitórias sobre a Alemanha no segundo dia do torneio, com Florencia Lopez (50kg), Tatiana Flores (54kg), Lorena Balbuena (66kg), Junior Narvaes (57kg) e Benjamin Escudero (80kg). O Panamá venceu os seus dois duelos, incluindo o segundo triunfo de Atheyna Bylon (75kg). Além do resultado positivo de Nikita Putilov, os alemães conquistaram vitórias por W.O. com Lena Büchner (57kg) e Lütfiye Tutal (60kg).