Amanda Ribas relembra árdua batalha para provar inocência em acusação de doping

https://youtu.be/8QnkzDYIqCo

As três vitórias em três lutas realizadas desde que estreou no UFC não chegam nem perto das batalhas mais árduas que Amanda Ribas travou fora do octógono. Antes mesmo de pisar pela primeira vez no cage da organização, o que aconteceu em junho de 2019, a peso-palha precisou lutar para provar sua inocência na acusação de doping feito pela USADA em julho de 2017. Os detalhes ela contou no RESENHA PVT da última quinta-feira, dia 9.

Foram quase dois anos lutando para provar que os picogramas encontrados em seu organismo eram provindos de uma contaminação cruzada de um suplemento que ela havia tomado. Nesse período, Amanda recebeu inúmeras mensagens ofensivas em suas redes sociais, foi chamada de drogada e até mesmo traficante, e a academia de seu pai, em Varginha-MG, perdeu cerca de 250 alunos, segundo ele mesmo revelou. 

Esse não foi o único obstáculo enfrentado por Amanda Ribas antes de se tornar uma das esperanças brasileiras no UFC. Anos antes, quando ainda sonhava e representar o Brasil nas Olimpíadas, a judoca sofreu uma grave lesão no joelho, passou por um erro na cirurgia e ouviu de um renomado médico que dificilmente voltaria a andar, o que, naquele momento, encerraria a sua carreira. 

Assista aos depoimentos de Amanda Ribas e Marcelo Ribas no vídeo no início desta nota. A RESENHA PVT completa você assiste no vídeo abaixo: 

https://www.youtube.com/watch?v=sA7zLBwYsfk