Aos 8 anos, Davi supera malformação congénita através do Jiu-Jitsu e ganha oportunidade da CBJJE

0
121
Davi ao lado da mãe, Daiane Cristina - @anaegabriellafotografias

O Jiu-Jitsu conta com muitas histórias inspiradoras, e mais uma delas veio à tona com o pequeno Davi Emanuel, faixa-cinza de 8 anos de idade. Natural de Barra do Garças, no Mato Grosso, Davi nasceu com malformação congénita (sem o braço esquerdo e a perna direita) e foi adotado aos três meses. Antes de conhecer a arte suave, ele vinha sofrendo com crises de ansiedade, porém tudo mudou depois de pisar no tatame pela primeira vez.

Davi ao lado da mãe, Daiane Cristina – @anaegabriellafotografias

O amor à primeira vista começou há sete meses, e atualmente o pequeno Davi treina no CT Sparta e um projeto social. “O Jiu-Jitsu, podemos dizer que foi um renascimento para o Davi. Antes do Jiu-Jitsu ele era uma criança depressiva, tinha vergonha da sua deficiência, não era muito social, mas hoje é outra criança. A saúde dele está ótima e é raro ele ter uma crise de ansiedade”, afirmou Daiane Cristina, mãe do paratleta kids.

Ao lado do pai, Lialdino Lopes Toledo, Daiane trabalha para dar um futuro melhor ao filho, que treina quatro vezes por semana durante 2h, faz exercícios de fortalecimento e também natação em busca do sonho de ser um renomado nome do Parajiu-Jitsu.

“Eu, como mãe, espero que ele seja um dos maiores professores de Jiu-Jitsu paradesportivo do mundo. Vou correr atrás dos direitos dele e de todas as oportunidades para ele viajar o mundo levando um pouco dessa pessoa maravilhosa que ele é. Quero vê-lo sendo reconhecido, claro, através do nosso trabalho e sempre com muita transparência”, disse a mãe, que completou:

“O Sonho do Davi é ser faixa-preta e montar um CT para crianças com deficiência, tipo um projeto social. Sua maior inspiração é o Leandro Lo. Mesmo ele não tendo conhecido o Leandro, sabe da sua história e até se emociona ao falar sobre. A Dona Fátima (mãe do Leandro) também é uma pessoa maravilhosa”.

Convite da CBJJE

Ainda em seu início na arte suave, Davi Emanuel já soma duas medalhas de ouro e uma de honra ao mérito, entretanto, foi sua história de superação que chamou atenção da CBJJE através do faixa-preta Raphael Forti e do faixa-roxa Rodolfo Tavares, dois nomes importantes do Parajiu-Jitsu e parceiros da Confederação.

Assim, Davi – que tem apoio da Vouk – foi convidado para participar do Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJE e sairá pela primeira vez da sua cidade em junho, quando vai viajar para São Paulo para a competição. Empolgado com a oportunidade, o jovem paratleta falou:

“A emoção é muito grande por saber que vou participar desse campeonato de tamanha importância. É o meu primeiro campeonato fora da minha cidade e espero poder mostrar um pouco do que tenho aprendido no meu dia a dia, conhecer muitas pessoas, fazer novos amigos e quem sabe ter a oportunidade de mudar pra São Paulo, fazer meu caminho por lá”, apontou Davi.