Azarão, Magnus Conrado finaliza na Rússia e, inspirado em parceiro de treinos, mira Contender

0
323

Por Alan Oliveira

No Russian Cagefighting Championship (RCC) 15, que aconteceu no último dia 13 de maio em Ecaterimburgo, Rússia, Magnus Conrado surpreendeu e finalizou o favorito Ilyas Khamzin, completando nove vitórias nas últimas dez lutas. Em entrevista ao PVT, o peso leve, comemorou a vitória e pretende que ela chame atenção de outros eventos.

Magnus comemora vitória na Rússia (Foto: RCC)

“Todo mundo sabe como é difícil vencer um russo, principalmente na Rússia. Você tem que definir a luta e não deixar para os jurados. E foi o que fiz. Entrei como azarão, ele era favorito em 8-1 nas casas de apostas, mas confiei nos treinos e no meu desempenho nas últimas lutas. No Tapology (site com cadastro internacional de lutadores e que possui um ranking) sou o primeiro colocado nos meio-médios do Brasil, apesar de lutar também nos leves. Mostrei porque mereço atenção e consegui finalizar no 1º round”, vibrou Conrado, que venceu 15 de suas 22 lutas no 1º round, e detém os cinturões dos leves e dos meio-médios do Inside Fighters League.

Duplo campeão do Inside Fighters League (Foto: divulgação)

Fruto de um projeto social em Natal, onde nasceu, Magnus foi levado por Thiago Magadavi para treinar na Infinity Fight Team em Rio Grande, Rio Grande do Sul, após já ter feito lutas de MMA. Passou e ainda passa por dificuldades como a maioria dos atletas no início de carreira: “Tinha que trabalhar como segurança na noite e ia treinar virado. Estou há 19 meses longe da minha família, inclusive do meu filho, que deixei em Natal com 8 meses e já está com dois anos. Mas meu treinador e minha equipe me acolheram muito bem, estou feliz aqui, e com trabalho essas dificuldades serão recompensadas”, disse o lutador de 28 anos.

Além dos resultados nas últimas lutas, Conrado se inspira também num parceiro de treinos para chegar ao sonhado UFC. Paulo Renato Junior terá nova oportunidade no Dana White’s Contender Series em agosto.

“Estamos buscando espaço nas grandes organizações, e o UFC é o grande projeto de vida, lógico! Vou torcer muito pelo Paulo, mas quem sabe não vou com ele para esse Contender? É só em agosto. Mas se não for agora, será em outra oportunidade. Eu me vejo entre os tops do país e ir para lá é questão de tempo”, crava Magnus.