Após vencer o Houston Open, Lucas Pinheiro luta no Fight To Win e mira Pan e Mundial de Jiu-Jitsu

Manauara participou de sua primeira competição em 2020 no último domingo (8) e faturou o ouro – Foto: Nat Chittamai

A primeira competição de Lucas Pinheiro em 2020 foi dourada. O faixa-preta de Jiu-Jitsu mais uma vez se destacou e ganhou pela quarta vez o Houston International Open de Jiu-Jitsu da IBJJF, que foi realizado no último domingo (8) no Texas, Estados Unidos. O manauara fez duas lutas, finalizando a primeira com um estrangulamento após abrir 18 a 0, e a final vencendo pelo placar de 11 a 2. Agora o atleta da Atos Jiu-Jitsu se prepara para lutar o Fight To Win 138, que acontece este sábado (14) em Dallas, no Texas, e em seguida o Pan-Americano de Jiu-Jitsu, que ocorre na Califórnia a partir do dia 19 de março.

“Me senti muito bem na minha primeira competição no ano. Tive ótimas performances e consegui conquistar o tetracampeonato. Esse final de semana vou lutar o F2W em Dallas. Estou muito feliz que meus alunos e amigos de Dallas vão poder me assistir. Nos últimos quatro anos o evento não conseguiu arrumar um adversário para lutar comigo aqui na cidade. Por isso só lutei na Califórnia e na Filadélfia. Depois disso lutarei o Pan-Americano no final de semana seguinte, caso não seja cancelado por conta do corona vírus. E, claro, pretendo lutar o Mundial também, já que ano passado acabei ficando de fora”, explicou Lucas.

Lucas nunca escondeu que o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF é a sua grande obsessão na carreira. Para chegar no auge físico e técnico e conquistar o grande título que falta em sua carreira, ele vem fazendo uma programação especial para atingir o seu objetivo.

“No último ano muitas coisas mudaram para melhor na minha vida. Estou muito animado pra fazer o meu camp na Atos, em San Diego. Enquanto isso estou seguindo a planilha de treinos que foi passada pelo meu professor André Galvão e, como sempre, sigo dando o meu melhor a cada dia nos treinos de Jiu-Jitsu, além de estar bem focado na dieta e na preparação física. Não sei ainda se vou lutar de galo ou pluma. Estou decidindo com os meus professores. A cada ano o nível dessas categorias vem crescendo muito. Só sei que não terá luta fácil em nenhuma delas. Acredito que o segredo para um campeão não é só treinar, e sim está bem feliz com a vida dentro e fora dos tatames”, concluiu.