BAÚ DO PVT: Lyoto Machida e o dia seguinte à luta contra Jon Jones

https://youtu.be/GbIZUHmQRyQ

No próximo sábado Lyoto Machida reencontra um velho conhecido da época de UFC, o armênio Gegard Mousasi, de quem venceu, e bem, em 2014, na luta principal de uma edição do Ultimate em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Para aquecer para esta revanche, o BAÚ DO PVT traz esta semana uma entrevista do brasileiro no dia seguinte à luta contra Jon Jones, pelo UFC 140, em dezembro de 2011.

Na ocasião, apesar de ter sido finalizado no último minuto do segundo round, Lyoto Machida se tornou o primeiro lutador a oferecer reais perigos ao campeão dos meio-pesados, que fazia apenas sua segunda defesa de cinturão. A eficiência do Machida Karatê no primeiro round foi tão grande que obrigou o genial Jon Jones a mudar sua estratégia no segundo, passando a buscar a luta agarrada.

“O Jon Jones é um grande campeão, mereceu a vitória. Não tenho desculpas, ele foi lá, fez o jogo dele e venceu”, reconheceu o brasileiro, que foi prejudicado por um corte na testa oriundo de uma cotovelada do americano. “Tentei levar a luta da forma que eu poderia levar até acabar o round, pois acredito que no terceiro round eu estaria melhor, porque daria para estancar o sangue. Isso, talvez, daria mais uma chance. Mas não adianta pensar no que não aconteceu.”

Após este combate, Lyoto Machida ainda venceria Ryan Bader e Dan Henderson e perderia para Phil Davis pela divisão dos meio-pesados, decidindo, então, baixar para os médios. Na categoria até 84kg, ele chegou a disputar o cinturão do UFC, mas foi parado numa luta duríssima contra Chris Weidman, que vivia o seu auge. Agora no Bellator, o brasileiro está cotado para ser campeão tanto nos médios quanto nos meio-pesados.