Bia Ferreira é bicampeã mundial de boxe

0
178
Bia Ferreira conseguiu um feito histórico em Nova Déli (Foto: Divulgação/IBA)

Bicampeã mundial! A brasileira Beatriz Ferreira derrotou a colombiana Angie Valdés Pana, neste domingo (26), e conquistou a medalha de ouro na categoria até 60kg do Campeonato Mundial de boxe feminino, em Nova Déli, na Índia. Após uma campanha irretocável, Bia não deu margens para a adversária e venceu a final por decisão unânime. Ela ganhou seu segundo título na competição, tornando-se a primeira brasileira a alcançar o feito na modalidade.

Bia Ferreira conseguiu um feito histórico em Nova Déli (Foto: Divulgação/IBA)

Líder do ranking mundial, Bia Ferreira foi arrasadora na competição e coroou seu belo desempenho com a medalha de ouro. Até chegar a final, ela precisou passar por três atletas, vencendo todas com folga, por unanimidade. Já na decisão, a baiana de 30 anos teve pela frente uma jovem atleta, que vem em ascensão desde a última temporada e que passou por quatro fases até a final.

Como foi a luta

As duas já haviam se enfrentado uma vez, em julho do ano passado, no Grand Prix Internacional de boxe, no Rio de Janeiro. E assim como aconteceu neste domingo, a brasileira saiu vencedora naquela ocasião. Pelo Mundial, as duas fizeram uma luta muito bem disputada, mas com um maior domínio da brasileira, que utilizou-se de seu poderio e da experiência para vencer.

A brasileira foi para cima da adversária desde o primeiro instante e teve muita superioridade no primeiro round para vencer de forma unânime na visão dos cinco juízes. No segundo round, a colombiana cresceu na luta e encaixou boa sequência de golpes logo no início. No entanto, Bia foi muito bem na defesa e nos contra-ataques e levou a vitória na parcial para quatro árbitros. Já com a vitória muito bem encaminhada, Bia fez um terceiro round mais solto e conquistou a vitória por decisão unânime.

Marcas

Este foi o segundo título mundial de boxe de Bia, depois de ter levado o ouro pela primeira vez em 2019. No ano passado, ela também chegou até a final da competição, mas perdeu para a norte-americana Rashida Ellis e ficou com a medalha de prata. Na Olimpíada de Tóquio, em 2021, a brasileira também perdeu na decisão e ficou com a medalha de prata. Estes números consolidam Bia Ferreira cada vez mais como um dos maiores nomes do boxe olímpico brasileiro.

E o Mundial em Nova Déli fez com que a baiana atingisse algumas marcas históricas. Ela se tornou a primeira brasileira a ser bicampeã mundial de boxe, ultrapassando Roseli Feitosa (2010) e Everton Lopes (2011), que têm uma conquista cada. A pugilista também foi a primeira atleta do Brasil a conquistar três medalhas mundiais e, além disso, a chegar em três finais da competição – e todas de forma consecutiva.

Esta ainda foi a melhor campanha do Brasil na história do Mundial de boxe feminino. Além do ouro de Beatriz Ferreira, o país conquistou um bronze com Barbara Santos (70kg) nesta edição. Jucielen Romeu (57kg) e Beatriz Soares (66kg) pararam nas quartas de final e ficaram a uma vitória da medalha. O Brasil ainda contou com a participação de Caroline Almeida (50kg), Tatiana Chagas (54kg) e Viviane Pereira (75kg) na competição.