Brunno Hulk vibra com escolha de oponente no UFC, mas lamenta não enfrentar russo invicto: “Fugiu de novo”

0
298
Foto: MMA Junkie

Após uma impressionante vitória por nocaute técnico sobre Phil Hawes em janeiro passado, Brunno “Hulk” Ferreira está pronto para retornar ao octógono em 8 de junho contra Dustin Stoltzfus. Em entrevista ao PVT, o brasileiro inicialmente lamentou não poder enfrentar o invicto russo Sharabutdin Magomedov, mas acabou vibrando com a escolha do americano.

(Foto: MMA Junkie)

“Infelizmente, Shara fugiu de mim de novo. Tínhamos uma luta agendada para 22 de junho na Arábia Saudita, mas ele escapou de mim e aceitou um oponente mais fácil onde ele não corre risco de ser derrubado. Mas felizmente o UFC encontrou Stoltzfus, que é um ótimo oponente para mim. Assim como Hawes, ele me permitirá mostrar minhas habilidades de luta em pé e de grappling. Essa luta será perfeita para mostrar minha evolução para os fãs”, afirmou Brunno.

Faixa-preta de judô, Ferreira começou no MMA apenas em 2019. Com o apoio do ex-lutador da Chute Boxe Andre Dida (atualmente líder da Brazilian TKO), Hulk começou a desenvolver suas habilidades de luta em pé.

“Com a ética de trabalho que trouxe do judô e com sua grande explosão, logo Brunno se tornou um atleta completo, misturando quedas e poder de nocaute”, disse Dida em entrevista ao PVT em março.

Depois de uma sequência de sete vitórias (por nocaute técnico ou finalização) em eventos brasileiros, Hulk assinou com o UFC em 2022 após nocautear Leon Aliu no primeiro round no Dana White’s Contender Series. Quatro meses depois, o curitibano foi chamado “em cima da hora” e fez sua estreia no UFC 283, no Rio de Janeiro, nocauteando no 1º round o favorito Gregory Robocop, que vinha de quatro vitórias em cinco lutas no Ultimate.

Em sua segunda luta no UFC, porém, Hulk sofreu sua única derrota na carreira ao ser nocauteado por Nursulton Ruziboev.

“A derrota foi muito importante para mim, tanto tecnicamente quanto mentalmente. Evoluí muito depois disso e me considero um atleta completo. Nada é novo para mim. Já nocauteei e também fui nocauteado. E a maior prova da minha evolução pude mostrar em minha última luta, onde desenvolvi um jogo com quedas e nocaute, ganhando meu primeiro bônus. Mas meu arsenal é muito maior e espero usá-lo contra Stoltzfus para subir na categoria e talvez enfrentar um oponente ranqueado na minha próxima luta”, projetou Hulk.