Campeão do World Pro e Brasileiro, Hiago se emociona com conquistas: ‘Consigo ajudar meus pais na Bahia’

Hiago vem de boas vitórias no Jiu-Jitsu - Foto: Divulgação
Hiago vem de boas vitórias no Jiu-Jitsu – Foto: Divulgação

Natural de Cícero Dantas, na Bahia, Hiago George deu os primeiro passos no Jiu-Jitsu em sua cidade natal. A rotina de treinos – Hiago treinava todos os dias mesmo sendo faixa-branca – fez com que o jovem colocasse metas para ele próprio.

Com o objetivo de ser o melhor peso-pluma do mundo, o baiano começou a competir todos os finais de semana, e essa obsessão o fez chegar em São Paulo, um dos principais polos do Jiu-Jitsu competitivo, em 2013, para disputar um torneio local.
Nos anos seguintes, já treinando com Cícero Costha e com a faixa-roxa na cintura, Hiago foi vencendo tudo o que disputava, até atingir o profissionalismo, pegando a sua faixa-preta em agosto de 2015.
Recentemente, há dois fins de semanas, Hiago foi coroado como campeão do World Pro e campeão do Brasileiro, da CBJJ, na divisão dos plumas. Além das medalhas, Hiago conseguiu embolsar 7 mil reais no Brasil e 10 mil dólares (quase 40 mil reais na cotação atual). O prêmio veio para coroar uma jornada que começou bem lá atrás, quando Hiago tinha apenas 12 anos e deu os seus primeiros passos no Jiu-Jitsu.
“Sempre que ganho premiações altas, eu tiro uma parte para me ajudar como atleta profissional e a outra eu mando para os meus pais, na Bahia. Esse dinheiro é para realizar um promessa que fiz quando fui embora da minha casa para São Paulo. Em breve vocês vão saber, falta pouco para concluir”, explica Hiago.
Pelo Brasileiro, encerrado no último fim de semana, Hiago precisou vencer três lutas na categoria pluma. A primeira foi nos pontos, onde fez 10 a 0, a segunda por finalização no estrangulamento e a final, contra Alex Sodré, onde venceu por vantagens, depois de empates nos pontos.
“A frase que meu professor Tiago Barros me disse no campeonato me passou muita confiança. Ele me disse: “mostra para que você veio”. Isso me marcou muito, eu lembrei de toda a caminhada. A luta com Sodré foi guerra e graças a Deus deu tudo certo”, encerra Hiago.