Campeão Mundial de Jiu-Jitsu, Marcelo Herz projeta conquistar mais títulos na arte suave em 2023

0
173
Marcelo Herz foi campeão master em 2020 - Arquivo Pessoal

O título do campeonato Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF é o ponto mais alto da carreira de um atleta da arte suave. Depois de conquistar o ouro como faixa-roxa e o bronze como faixa-marrom, Marcelo Herz conquistou o tão almejado título Mundial em 2020, quando disputou o World Master da IBJJF e subiu ao lugar mais alto do pódio. O faixa-preta formado por Sergio Bolão, que hoje vive em Miami e lidera a filial da Rilion Gracie Doral, detalhou a sua rotina de treinos para chegar ao topo do mundo.

Marcelo Herz foi campeão master em 2020 – Arquivo Pessoal

“Meu treino para o Mundial Master 2020 foi extremamente pesado. Para um campeonato desse nível eu tive que focar, primeiramente, na parte nutricional e, principalmente, na minha preparação física, mesclando treinos aeróbicos e de força muscular. Na parte técnica, dividi a semana em duas partes, treinando três vezes por semana no quartel general sob a supervisão do mestre Rilion Gracie e outras três vezes por semana na minha academia com os meus alunos’, explicou Herz.

No meio desta caminhada rumo ao título Mundial, Marcelo enfrentou algumas lesões, além, é claro, de ter que conciliar a rotina de atleta com a de professor da Rilion Gracie em Doral e Fort Lauderdale, na Flórida, onde ele é responsável pela capacitação e treinamento de novos professores e pela equipe adulta de competição da Rilion Gracie Association USA. Ele garante que a rotina desafiadora valeu a pena e que o resultado final gerou um grande impacto em sua vida pessoal e profissional.

“Sem dúvida nenhuma conciliar todos os treinos com as inúmeras aulas semanais foi a parte mais difícil do treinamento. Outro ponto bastante complicado foi administrar pequenas lesões que ocorreram durante o treinamento. Mas tudo valeu a pena. O título Mundial é o lugar mais alto que um atleta de Jiu-Jitsu pode alcançar. Já havia sido campeão Mundial como faixa-roxa e terceiro lugar como faixa-marrom adulto, mas, sem dúvida nenhuma, o título como faixa-preta foi o ápice da minha carreira”, garantiu.

Apesar das grandes conquistas em 35 anos de carreira como competidor, que incluiu ainda o título Pan-Americano e Brasileiro de Jiu-Jitsu, Marcelo Herz garante que não vai parar por aí. Ele almeja conquistar novamente o Mundial, que está programado para acontecer em agosto em Las Vegas, entre outros títulos da arte suave, mas revela que tem como meta principal inspirar e motivar os mais de 250 alunos de sua academia.

“Sou um cara que nasceu com a competição no sangue. Então, com certeza, quero conquistar mais alguns títulos importantes na minha carreira. Gosto de liderar meus alunos dando o exemplo e, desta maneira, a competição acaba sendo uma ferramenta importante para motiva-los não só nos campeonatos, mas para a vida, ajudando eles a enxergar que somos capazes de superar qualquer desafio na vida”, concluiu Herz.