Comentarista exalta a competitividade no Grand Slam Rio de Janeiro

0
154
Vitor Freitas é referência no jiu-jitsu - Foto: Sinistro Photo Film

O Grand Slam Rio de Janeiro, organizado pela AJP, promete grandes emoções para a sua próxima edição. O torneio está agendado para os dias 10 e 11 de junho, na Arena Carioca, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A organização ainda preparou uma premiação de até 4 mil dólares para as categorias profissionais da faixa-marrom e faixa-preta adulto.

Grande estrelas do jiu-jitsu estarão em ação nas disputas das categorias masculino e feminino, como Leonardo Mario, Lucas Protasio, Uanderson Ferreira, Henrique Ceconi, Brenda Larissa, Julia Alves e Gabi Pessanha.

Para Vitor Freitas, jornalista renomado no jiu-jitsu, a regra da AJP faz com que diminua a chance de ter uma luta amarrada ou chata para o público que está assistindo.

Vitor Freitas é referência no jiu-jitsu – Foto: Sinistro Photo Film

“Na AJP, a vantagem também conta ponto. Isso faz com os atletas não parem de atacar até os minutos finais. Se o atleta fizer dois pontos e tentar segurar até o final, ele pode ser surpreendido com um empate e perder. A regra do empate favorece o atleta que pontou por último. Você que todas as lutas da AJP tem emoção, é disputada até o final. É um banquete para todo fã de Jiu-Jitsu”, ressalta Vitor, que tem experiências de cobrir o Campeonato Europeu da IBJJF, em Lisboa, Portugal, o maior torneio de Jiu-Jitsu da Europa; Campeonato Brasileiro, edições do BJJ Stars e BJJ Bet.

Freitas fala ainda da importância do investimento que a AJP faz para tornar o Jiu-Jitsu cada vez mais profissional.

“O Jiu-Jitsu caminha a passos largos para sua profissionalização e a AJP tem parte importante neste processo. A maioria dos eventos, incluindo o World Pro, o torneio de mais prestígio em Abu Dhabi, pagam premiação em dinheiro para o primeiro, segundo e terceiro lugar. O campeão e a campeã do ranking também ganham uma ótima premiação em dinheiro ao fim da temporada. Boa parte dos atletas que disputam este torneio conseguem manter uma carreira profissional. O futuro do esporte é brilhante!”, reflete o fundador da VF Comunica.

Vitor também já foi colaborador da Flograppling, revista Tatame e funcionário da Graciemag. Hoje, referência na comunidade do jiu-jitsu, ele comanda o podcast e o canal “Vitor Freitas Comunica”.