Da marcenaria ao MMA: brasileiro faz estreia internacional na Inglaterra

Campeão do Strikers e do Skaus Combat, atleta da Rio Fighters luta este sábado (19) no Rio de Janeiro - Foto: Eduardo Ferreira
Atleta da Rio Fighters, Wallace Lopes luta este sábado contra o inglês John Spencer – Foto: Eduardo Ferreira

Aos 15 anos, Wallace Lopes trabalhava em uma marcenaria, e conciliava o emprego com os treinos de Jiu-Jitsu e Muay Thai. Mas, por conta da rotina intensa, e por precisar do dinheiro para ajudar a sua família, o jovem aspirante a lutador não conseguia se dedicar completamente as lutas. Mas em 2012, Wallace, que na época acompanhava todos os domingos o TUF Brasil, reality show do UFC, teve a oportunidade de conhecer Miltinho Vieira, que o abraçou e o ajudou a trilhar o seu caminho no MMA.

“Eu comecei no Jiu-Jitsu em 2007, mas nunca imaginei que poderia me tornar profissional um dia. Então, entrei e sai do esporte algumas vezes. Até que em 2012, quando eu ainda tinha 15 anos, resolvi me dedicar a luta. Na época eu estava acompanhando as finais do TUF Brasil. Inclusive, foi no dia que o Miltinho Vieira estreou no UFC, lá no Mineirinho. Foi uma boa coincidência, pois hoje ele é o meu treinador. Do amador ao profissional, o Miltinho foi o responsável pela minha carreira”, contou Wallace.

O atleta da Rio Fighters estreou no MMA amador em 2016, e em 2017 fez seu debute como profissional. Após vencer as duas primeiras lutas por nocaute e a terceira por finalização, ele acabou sofrendo o seu primeiro revés, quando saiu derrotado na decisão dividida dos juízes no Shooto Brasil, em agosto do ano passado. Mas agora ele tem a oportunidade de dar a volta por cima. Neste sábado, dia 2 de março, ele fará a sua estreia internacional pelo Sparta Fight Series, que acontece na Inglaterra. Ele terá pela frente o veterano John Spencer, que possuiu 35 lutas em seu cartel.

“Estudei bastante o jogo do meu oponente. Ele é um boxer bem perigoso, um cara experiente, mas eu confio em mim e na minha equipe para sair vitorioso deste combate. Me considero um lutador completo. Sou faixa azul de Jiu-Jitsu, mas treino desde 2012. Já competi bastante. E sou faixa marrom de Kickboxing também, treino com o mestre Bruno Fernandes. Confio em mim e sei que estou preparado para fazer uma grande luta”, disse o peso-mosca (57kg), que irá subir de peso e atuar na categoria dos galos (61kg) nesse combate.

Morador da comunidade de Nova Jersey, em Paciência, onde inclusive possui um projeto social, Wallace sonha em ser campeão de um grande evento, mas seu maior objetivo é dar uma condição melhor a sua família, mesmo que essa não o tenha apoiado no início.

“Sendo bem sincero, minha família nunca me apoiou, eu sempre corri atrás sozinho. Sempre abri mão de tudo o que poderia me atrapalhar para tentar a minha carreira como lutador. E eu não me arrependo, faria tudo de novo se fosse preciso. Mas, graças a Deus, aos poucos as coisas foram dando certo. Troquei um cordão por um kimono no começo e estou aí até hoje. Como eu não tinha dinheiro e não queria perder a bolsa na academia, ofereci o meu cordão para um amigo tirar um kimono pra mim no cartão dele e morrer a dívida. E foi assim que tudo começou. Agora sonho em ser campeão de um grande evento de MMA, e, principalmente, em conseguir dar uma vida melhor para a minha mãe e para os meus irmãos”, concluiu.