Daniel Pinheiro explica o caminho para ser um professor de Jiu-Jitsu bem-sucedido nos EUA

Daniel Pinheiro e seus alunos - Foto: White Stripe Photography

Assíduo competidor de Jiu-Jitsu desde os 11 anos de idade, Daniel Pinheiro descobriu outra característica marcante logo cedo: a arte de fazer bons negócios. Depois de brilhar em torneios nacionais e conquistar sua faixa-preta em Manaus, no Amazonas, Daniel rumou para os Estados Unidos em 2011 com o sonho de abrir sua academia e propagar o Jiu-Jitsu para novas pessoas. Oito anos após colocar os pés na Terra do Tio Sam, Daniel conseguiu o respeito da comunidade local de San Antonio, no Texas, e ensina a modalidade para mais de 140 alunos, entre crianças, jovens e adultos, da faixa-branca a marrom. Para se ter sucesso na América, Daniel destaca algumas ferramentas como, por exemplo, carisma, humildade e, o mais importante de tudo, um bom plano de aula.

“O sucesso do meu trabalho reflete toda minha dedicação. Eu tenho um bom plano de aula e sei que sou um bom professor, eu faço isso desde criança. Os meus alunos têm tido bons resultados nas competições e, mais importante que isso, tenho gerado auto estima, confiança e força de vontade. O Jiu-Jitsu é uma ferramenta social muito importante”, destaca Daniel, antes de explicar a sua filosofia de ensino.

“Nossa didática é simples e procuramos ser eficientes na hora de ensinar.  Sou de porte pequeno, então, preciso eu trabalhar muito a alavanca. Mestre Hélio já fazia muita questão de enfatizar a alavanca em sua filosofia. É uma parte que priorizo em todas as minhas aulas”, diz.

Daniel também aproveita para falar sobre a diferença no seu modo de analisar o Jiu-Jitsu em 2019.

“O Daniel de 2011 é o mesmo de 2019, mas mais inteligente, maduro, com muito mais conhecimento. Na vida, eu sempre acreditei que temos que aprender com nosso dia-a-dia”, encerra.