Evento brasileiro RFA Fight estreia com o objetivo de formar novos ídolos do MMA

Em meio a uma crise que assola os lutadores brasileiros pela falta de oportunidade de trabalho, agravada pela pandemia, surgiu um novo evento de MMA que promete revolucionar o cenário nacional preparando o terreno para o surgimento de novos ídolos.

Criado por um empresário goiano e um mestre catarinense, o RFA Fight – sigla de Rangel Farias e Abadio, nomes dos fundadores – pretende ser mais que um palco de lutas. A ideia, segundo eles, é formar atletas profissionalmente e socialmente.

“Em meio a pandemia veio o convívio diário com os atletas e percebi que muitos estavam tristes, alguns querendo parar pois ficaram sem competições, então eu tomei a atitude de colocar o projeto em prática. Chegamos para ajudar jovens atletas a realizar o sonho de viver do esporte”, explica Abadio Cardoso Neto.

O ponto de partida está marcado para o dia 8 de agosto, em um evento de estreia que terá como palco a capital catarinense. A tônica do show será um desafio entre lutadores anfitriões, de Florianópolis, e visitantes, de Goiânia.

“Nosso modelo é o desafio entre cidades. Percebemos que isso traz a comunidade para perto do MMA: empresários, políticos e comerciantes, todos ficam entusiasmados com a ideia. Essa regionalização é a chave para criarmos a liga brasileira de MMA”, acredita o empresário goiano.

Eventos que promovem lutas são comuns. De acordo com a filosofia planejada, o RFA Fight quer ser diferente. Além de vitrine para os lutadores mostrarem seus potenciais, a companhia promete oferecer assistência na gerência das carreiras de seus atletas.

“Queremos ser a plataforma onde o atleta encontra todo um ecossistema voltado para o MMA, desde de nutrição esportiva, acompanhamento psicológico, gerenciamento de carreira, até a produção de vídeos e divulgação dos atletas. Queremos ensinar eles a se promoverem, a se aproximarem do público”, destaca Abadio.

“Para nós, a cereja do bolo são os eventos. Quero trazer grandes empresas para abraçar a causa, pois enxergo o esporte como uma inclusão social. Um país que não apoia o esporte está fadado ao fracasso. Empresários não podem pensar só em lucro, os consumidores estão atentos para as empresas que estão se humanizando”, conclui.

O evento de estreia será transmitido ao vivo no site oficial do evento: www.rfafight.com.br.