Faixa marrom de Jiu-Jitsu e narrador do Combate, André Azevedo dá seus palpites para o UFC 251

Jornalista e faixa marrom de Jiu-Jitsu - Foto: Divulgação/ Globo
Jornalista e faixa marrom de Jiu-Jitsu – Foto: Divulgação/ Globo

Esporte, comunicação e narração. A vida do jornalista, apresentador e narrador do canal Combate André Azevedo, 39 anos, é pautada por muita emoção no mundo das lutas, tanto praticando quanto descrevendo os fatos para o público. Nascido em Niterói, o faixa-marrom de Jiu-Jitsu, que estará na transmissão do UFC 251 neste sábado, a partir das 18h45, relembrou sua trajetória na arte suave.

“A minha relação com o jiu-jitsu começou em 1997, com 16 anos. Já tinha treinado karatê e taekwondo na infância, mas com o jiu-jitsu foi amor à primeira vista. Pratiquei por quatro anos, peguei a faixa azul e depois tive um hiato de quase 10 anos. Retomei as atividades em 2012 e cheguei à faixa marrom cinco anos depois.”

Depois de assistir ao primeiro UFC, André teve sua vida voltada para o esporte, muito pela influência do pai. A preferência pela narração começou com algumas brincadeiras durante a infância do jornalista. 

“Jogava muito futebol de botão, e desde essa época eu narrava os jogos, cantava as jogadas. Hoje sou um profissional realizado, porque consigo colocar nas narrações de futebol de botão na televisão, narrando partidas de futebol, e colocar toda minha paixão pelas lutas nos eventos do Combate.”

No próximo sábado, dia 11 de julho, acontece o UFC na denominada Ilha da Luta, uma edição especial do evento em Abu Dhabi, em um local próprio para receber grandes lutas da organização durante a pandemia. O narrador espera grandes combates na noite. Confira abaixo suas análises para as principais lutas do card.

Jéssica Andrade x Rose Namajunas

A Jéssica vai ter a chance de mostrar que o que fez com a Rose há um ano, quando conseguiu tomar o cinturão da americana no Brasil, não foi um golpe de sorte. Mostrar que ela evoluiu e pode trazer outras armas para o seu jogo. Vejo um equilíbrio enorme nesta luta e estou curioso para ver quais são essas novas armas que a Jéssica vai trazer no sábado.

José Aldo x Petr Yan

Podemos esperar um Aldo daqueles tempos áureos, indo para cima, chutando e bastante agressivo. Vejo o brasileiro melhor que o Petr Yan em quase todas as áreas. Talvez não no boxe, já que o russo tem um boxe afiado e luta desde criança. Mas o Aldo está com a cabeça muito boa para a disputa deste cinturão. Está confiante e com vontade de voltar a ser aquele lutador que encantou o mundo inteiro e foi campeão durante tanto tempo.

Kamaru Usman x Jorge Masvidal 

Foi um bom movimento do UFC conseguir levar o Masvidal para fazer a luta principal contra o nigeriano Kamaru Usman. Foi muito corajoso ao aceitar a luta com apenas seis dias para se preparar, sem o camp completo. Vai ser uma luta relativamente tranquila para o Usman, por conta dessa falta de tempo de preparação.