Faixa-preta de jiu-jitsu celebra vitória em card que teve Popó como atração

0
59
Rafael Negretty mira o MMA - Divulgação

Faixa-preta da academia do campeão mundial Zé Mario Sperry, Rafael Negretty vem colecionando vitórias tanto na vida quanto nas artes marciais. O gaúcho, que sofreu um grave acidente de moto em 2013 e quase ficou paraplégico, é sinônimo de superação. E ele deu mais uma prova de sua resiliência no último dia 23 de abril, quando lutou no evento Danki Fight Show, que aconteceu no Stage Music Park, em Florianópolis, e saiu com uma vitória por finalização na luta de Jiu-Jitsu do evento.

Rafael Negretty mira o MMA – Divulgação

“Foi uma luta bem difícil. O meu adversário (Eduardo Francisco) era muito forte. Eu estava muito bem preparado fisicamente, mas não consegui vencer no tempo regulamentar. Eu tentei encaixar duas guilhotinas e ele defendeu muito bem. Mas no tempo extra, ajustei a posição e consegui a finalização. Mas o mais difícil pra mim nunca é a luta. Eu moro no litoral do Rio Grande do Sul, na cidade de Torres, que fica a 200 km da capital de Porto Alegre, onde é a sede da minha academia de Jiu-Jitsu. Por conta da distância, preciso adaptar os meus treinos aqui em Torres ou em Capão da Canoa”, explicou.

O gaúcho fez uma das superlutas no evento que teve como principal atração o tetracampeão mundial de boxe Acelino “Popó” Freitas. Apesar da experiência de já ter lutado em grandes eventos de jiu-jitsu e de MMA, Negretty garante que esta foi a maior experiência de sua vida.

“Esse evento foi um dos maiores que eu já lutei. Experiência incrível! E pisar no mesmo ringue que o Popó, um ídolo brasileiro dos esportes de combate, é uma benção. Sou muito grato por tudo que estou vivendo. Para alguém que quase ficou paraplégico e deu a volta por cima, sem dúvidas o que estou vivendo é um grande sonho”, comemorou o casca-grossa.

E os planos de Rafael Negretty para esse ano são bastante ambiciosos. Ele espera ter uma nova oportunidade em algum grande evento no Brasil ou até mesmo fora do país. Para o segundo semestre, ele já está negociando uma nova luta de MMA, onde tem uma vitória e uma derrota, e novas lutas casadas no Jiu-Jitsu com e sem kimono.

“Estou na minha melhor forma. Todos os dias faço preparação física com um grande profissional (Luiz Francisco Maggi), faço treinos específicos e de forma multidisciplinar, sempre com ênfase nas artes marciais. Eu me dedico de corpo e alma pelo esporte. Quero lutar o máximo possível, levar a bandeira do meu Estado (Rio Grande do Sul) ao lugar mais alto e aproveitar todas as oportunidades que a vida me der. Esse é o meu objetivo”, concluiu.