Flávio Queiroz estreia nesta quinta em GP do Brave contra campeão mundial de Sambô: ‘Posso nocauteá-lo’

Flavio Queiroz costuma definir suas lutas antes dos 15 minutos - Foto: Divulgação
Flavio Queiroz costuma definir suas lutas antes dos 15 minutos – Foto: Divulgação

Lutador com instinto de definição, o paulista Flávio Queiroz é um dos representantes do Brasil no GP dos moscas do Brave CF, que se inicia nesta quinta-feira, 25, no Bahrein. Pela frente o atleta da Capital da Luta terá o russo Velimurad Alkhasov, em duelo válido pelas quartas de final. Embora o oponente seja credenciado pela carreira no Sambô, Queiroz está confiante quanto a um resultado antes do tempo regulamentar.

“Eu sempre treino para definir a luta via nocaute ou finalização. Acredito, sim, que sou capaz de nocauteá-lo, eu treinei para isso, mas a luta pode desenrolar em todas as áreas”, comentou o brasileiro, que, além de sete nocautes, também possui três finalizações no cartel. “Sei que ele é campeão mundial de sambô, é um atleta bem experiente, já ganhou de grandes nomes que estão no GP, mas me preparei para enfrentá-lo com todas as minhas ‘armas’ em todas as áreas da luta.”

Além de Flávio Queiroz e Velimurad Alkhasov, também lutam nesta quinta pelo GP o ex-UFC José Torres e o experiente Sean Santella. As outras lutas das quartas de final são entre o brasileiro Marcel Ardur e o ex-UFC Dustin Ortiz; e entre o ex-campeão do Bellator Zach Makovsky e o finlandês Abdul Hussein. Questionado sobre seu palpite para uma possível final, Queiroz não ficou em cima do muro.

“Visando que eu encontre o outro lado da chave, Dustin Ortiz e José Torres podem fazer a semifinal, então a disputa do cinturão  seria entre mim e o vencedor da luta entre eles”, projetou o brasileiro.