Governo do Rio anuncia artes marciais para alunos das escolas públicas do estado

Governador do Rio recebeu alunos do Colégio Estadual Dom Helder Câmara - Foto: Rogério Santana
Governador do Rio recebeu alunos do Colégio Estadual Dom Helder Câmara – Foto: Rogério Santana

Esta terça-feira, 23 de julho, foi um dia histórico para os amantes de artes marciais e, principalmente, para os alunos das escolas estaduais do Rio de Janeiro. Em cerimônia realizada na sede da Secretaria de Estado de Educação foi lançado o projeto que insere o Jiu-Jitsu e outras modalidades na grade escolar.

“É a realização de um grande sonho. Todos que já fizeram artes marciais sabem da importância das artes marciais na vida de qualquer cidadão, principalmente quando jovem, quando criança, porque ajuda a formar o caráter, ensina disciplina e aumenta o desempenho escolar”, disse o entusiasmado Pedro Fernandes, Secretário Estadual de Educação e faixa-preta de Jiu-Jitsu.

Ainda de acordo com o Secretário, será aberta uma licitação ainda neste segundo semestre para a contratação de 1.800 instrutores. A ideia, segundo ele, é transformar o projeto em lei, para que os próximos governos deem sequência ao plano.

Uma das escolas modelo é o Colégio Estadual Dom Helder Câmara, no Engenho de Dentro. Apoiada pela parceria entre LBV, Rádio Brasil, Prime Esportes, Boomboxe e FJJD-Rio, a ação já conquistou 38 medalhas e melhorou nota e frequência de alunos, que receberam uma moção de aplausos e uma medalha simbólica pelo sucesso do projeto.

“A LBV é um grande parceiro do estado, não só na secretaria de educação, como também na segurança pública, e tenho certeza que, a partir de agora, vamos poder ampliar ainda mais essa parceria levando essa realidade para outras escolas do estado”, encerrou Fernandes.

Diversas autoridades do estado e do Jiu-Jitsu estiveram presentes na cerimônia, incluindo o governador do Estado, Wilson Witzel, o lutador do UFC Rogério Minotouro, os faixas pretas Alexandre Baraúna, Cleiber Maia, Eduardo Herdy, Raphael Abi-Rihan, Diego Moraes e André Pederneiras, líder da Nova União e incentivador de projetos sociais de luta.

“É o anseio de todos os professores há muitos anos. Na verdade, a gente já faz esse trabalho dentro das academias, e fazer esse trabalho dentro das escolas é algo que a gente esperou a vida inteira. Com essa oportunidade, tenho certeza, além do nosso esporte crescer muito, a gente vai ajudar as crianças nas escolas com educação e disciplina”, vibrou Pederneiras.