Herbert Burns diz que mandou recado para a divisão após nocautear em sua estreia no UFC

Após grande perfomance, o faixa-preta brasileiro pediu para lutar em maio no UFC São Paulo
– Foto: Divulgação

Herbert Burns chegou ao UFC e já “sentou na janela”. Em sua estreia no maior evento de MMA do mundo, o faixa-preta de Jiu-Jitsu só precisou de um round para derrotar o americano Nate Landwehr com um belo nocaute no UFC Realeigh, que aconteceu no último sábado (25) na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. O brasileiro, que chegou ao Ultimate após vencer o Contender Series, aprovou seu desempenho e acredita que tenha mandado um recado para a divisão.

“Foi uma grande vitória. Achei a minha performance excelente. Não poderia ter sido melhor. Não me senti nervoso. Estava adrenalizado, o que é normal, mas sem nervosismo. Aqueci bastante, entrei bem preparado. Tenho a experiência de já ter lutado em outros grande eventos, de ter lutado no Contender Series. Já estive no backstage do UFC várias vezes, então eu sabia como o show funcionava. Isso tudo me ajudou bastante. Então, cheguei lá e não senti a pressão. Cheguei fazendo barulho e mandei um recado para a divisão inteira de que eu sou um lutador completo”, disse o irmão de Gilbert Durinho, também lutador do UFC.

A rápida vitória animou Herbert Burns, que já pediu uma nova luta no UFC. Assim que terminou o combate, ele disse que gostaria de lutar no UFC São Paulo, que será realizado em maio. O niteroiense já está mirando alguns nomes da divisão, entre eles Ryan Hall e Chase Hooper. Mas garante que estará preparado para quem o UFC colocar a sua frente.

“Acredito que possa acontecer sim (lutar no Brasil). Quero muito lutar neste evento. Dá tempo para treinar tranquilo, vou tirar só uma semana e já volto aos treinos. Se fechar, já intensifico os treinos para poder ter uma outra performance deste nível da estreia. Pedi alguns nomes, mas faz sentido uma luta contra o Chase Hooper ou contra o Ryan Hall. O Hall está sem luta e disse que é o melhor grappler da divisão. Não acho que ele seja o melhor. Poderia me testar contra ele. O Chase Hooper também seria interessante. Ele estreou no UFC um mês antes de mim. Seriam duas excelentes lutas, mas aí fica a critério do UFC. Eu não vou dizer não para ninguém. Quem eles mandarem, eu vou lutar. Mas, se eles puderem atender o meu pedido, seria excelente. Eu estarei pronto para quem vier”, concluiu.