‘Jiu-Jitsu é como se fosse uma religião para mim’, dizia o grande mestre Armando Wriedt, falecido nessa quinta

Armando Wriedt se despediu aos 94 anos - Foto: Marcelo Alonso
Armando Wriedt se despediu aos 94 anos – Foto: Marcelo Alonso

Morreu nessa quinta-feira, aos 94 anos, por causas naturais, o grande mestre Armando Wriedt, membro da primeira geração de lutadores formados por Carlos e Hélio Gracie. Inclusive, Wriedt foi um dos sete alunos a receber a faixa-vermelha diretamente de Hélio, em 1993.

Nascido em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, Armando Wriedt conheceu a família Gracie nos anos 50 e iniciou no Jiu-Jitsu aos 25 anos de idade. Ele ensinou Jiu-jitsu até os últimos dias de vida, em seu sítio, localizado a 1 hora de Brasília.

“É como se fosse uma religião para mim. Aprendi a não ser violento e a não lesar meu semelhante. Se eu não puder ajudar, não vou atrapalhar. Os Gracie queriam uma escola para preparar o homem para a vida. Essa é a filosofia”, disse Wriedt em entrevista ao “Correio Brasiliense” em 2016.

Faixa-preta de Wriedt, Ataíde Ludgero Jr., líder da Constrictor Team, usou sua conta no Instagram para prestar sua homenagem ao lendário professor.

“Vai com Deus, Grande Mestre Armando Wriedt. Obrigado por me acolher e educar durante toda a vida. O senhor foi uma luz de sabedoria que por aqui passou. Carrego com honras essa nobre missão de ser bom para o mundo. Todos os Samurais estão em postura pela sua gloriosa passagem… descanse, mestre, e obrigado por tudo.”, publicou.

O PVT se solidariza com os familiares, amigos e alunos e deseja um bom descanso ao grande mestre Armando Wriedt.