Lucas Pinheiro faz superluta de grappling contra João Miyao pelo cinturão do Fight To Win

Manauara enfrenta ex-parceiro de equipe
– Foto: Nat Chittamai

Um dos grandes eventos de grappling da atualidade, o Fight To Win irá realizar mais uma edição neste sábado (19) na Filadélfia. E uma das superlutas do card será entre os faixas-pretas Lucas Pinheiro e João Miyao, que já foram parceiros de treinos e se enfrentam em competições com e sem kimono desde a faixa azul. O combate será o co-main event da noite e em jogo estará o cinturão dos penas da organização. Lucas vive uma grande fase sem kimono, com vitórias recentes no American National e no Pan-Americano No Gi. Mas João não fica para trás. Além de ser o atual campeão Mundial de kimono, ele já faturou três vezes o Mundial No Gi da IBJJF. Por isso, o manauara Lucas Pinheiro prega respeito pelo oponente.

“Eu treinei com o João Miyao diariamente por cerca de 4 anos, quando moramos juntos na academia do Cícero Costha no Brasil. Sempre tive muito respeito e admiração por ele, pois passamos por muitas coisas juntos. Já nos enfrentamos várias vezes, só aqui nos Estados Unidos foram umas três vezes, a última delas foi na final do Mundial No Gi. Apesar de ter perdido todas as lutas, eu sempre tentei uma estratégia nova. E dessa vez não será diferente. Hoje em dia eu faço parte de outra equipe, onde tenho um treino diferente e professores que me orientam sobre a estratégia que devo usar para essa luta”, disse o atleta da Atos.

Lucas tem dividido o seu tempo entre treinos, aulas em sua academia, e os cuidados com a sua filha recém nascida. Por isso, ele ressalta que tem feito um treinamento diferenciado para chegar muito bem preparado para o combate no Fight To Win 123 e para o restante da temporada, já que ele mira o título inédito do Mundial No Gi.

“Tenho preparador físico, nutricionista, patrocínio de suplemento e muitas outras coisas que podem me ajudar a ter um resultado diferente nessa luta. A verdade é que, ganhando ou perdendo, ainda vamos nos enfrentar muitas vezes, pois a minha carreira como faixa-preta está só no começo. Em pouco mais de um mês creio que ele já será meu adversário novamente no Mundial No Gi, assim como em muitos outros eventos que ainda pretendo lutar”, concluiu.