Matheus Nicolau explica porque espera disputar cinturão se vencer no UFC deste sábado

0
119

Por Alan Oliveira

Vindo de três vitórias no UFC, Matheus Nicolau, 6º colocado do ranking dos moscas, enfrenta Matt Schenell, 7º, no UFC: Thompson vs Holland neste sábado, dia 3 de dezembro, em Orlando, EUA. Em entrevista ao PVT, o brasileiro analisou onde uma vitória o colocará na organização.

Foto: UFC

“Uma vitória vai me colocar muito bem. Tem uns caras na minha frente, como o Kai Kara-France, que acabou de perder a disputa de cinturão interino para o Moreno. Tem o Brandon Royval, que já perdeu pro Pantoja e pro Moreno. O Alex Perez acabou de perder pro Pantoja. Acredito que Pantoja esteja na frente sim, mas acho que serei o próximo nome”, discorreu o atleta da Nova União, se dizendo pronto para se colocar no topo da categoria.

“O melhor e o pior jogo é sempre o próximo. Sempre encaro cada luta como a pior e melhor luta, ao mesmo tempo. Sendo a pior luta, tenho que estar arisco, bem treinado, e explorando as valências do meu oponente. E a melhor luta porque nela posso mostrar meu jogo e conquistar a vitória. Schnell é versátil com um bom top 10, bem completo, mas estou preparado para ele, o camp está excelente aqui na Nova União. Treino wrestling com o Piratiev, em pé com Felipe Jesus, fui para São Paulo afiar o boxe com Alex Cardoso e o jiu-jitsu com a galera do Demian Maia”, disse o mineiro da equipe carioca de Dedé Pederneiras.

Numa categoria em que Deiveson Figueiredo enfrenta Brandon Moreno pela quarta vez, no UFC 283 de 21 de janeiro, no Rio, surge a questão: a categoria está “andando” como deveria? Nicolau acha que sim.

“Acho que é a melhor fase da categoria. Acho que o UFC tem nos dado valor, o público e a mídia também. O top 15 está muito duro, muitas lutas terminando com finalização e nocaute”, finalizou o mineiro.