‘O Jiu-Jitsu mudou a minha vida’, afirma faixa-preta brasileira campeã nos EUA

0
191
Arquivo Pessoal/Andreza Morais

Faixa-preta da equipe Ares BJJ, a brasileira Andreza Morais, aos 25 anos, vem começando a escrever uma bonita história na elite do Jiu-Jitsu. Multicampeã nas faixas coloridas, Andreza foi graduada preta há cerca de dois anos pelo seu professor, Alan Moraes, e desde então busca se testar nas principais competições.

Andreza Morais foi ouro duplo nos EUA – Arquivo Pessoal

Após cair antes do esperado no Brasileiro da CBJJ, em São Paulo, e no Mundial da IBJJF, na Califórnia (EUA), a faixa-preta deu a volta por cima no Portland Open de Jiu-Jitsu, realizado no início deste mês, nos Estados Unidos, quando faturou duas medalhas de ouro: peso-pena com e sem quimono.

“Minhas últimas competições foram o Sul-Brasileiro, o Brasileiro, o Mundial e o Portland Open. No Sul-Brasileiro eu fiz duas lutas duras, ganhando a final por decisão do árbitro. Depois de muitos anos sem lutar no Brasil, me senti super bem. Já no Brasileiro eu perdi na primeira luta, enquanto no Mundial cai nas quartas de final, mas estava me sentindo 100%”, disse Andreza Morais, que é completou:

“No Portland Open eu consegui o ouro duplo, vencendo a final com quimono por 6×0, aplicando meu jogo por cima. Já a final No-Gi eu finalizei com uma chave de pé em 36 segundos”.

Treinando há cerca de 13 anos, Andreza Morais espera seguir escrevendo novos capítulos na arte suave, cada vez mais vitoriosos, e falou sobre o que o Jiu-Jitsu significa para ela.

“É o meu primeiro amor, o esporte que mudou totalmente a minha vida, meu estilo de viver e pensar. Se hoje eu sou um ser humano melhor, é graças ao Jiu-Jitsu, que colocou o professor Alan Moraes na minha vida e mostrou o caminho pra ser uma campeã dentro e fora do tatame”, encerrou a faixa-preta.