Retorno da Copa do Brasil agita o mês de setembro no kickboxing brasileiro

0
126
Modalidade ainda teve os Jogos Universitários (Divulgação)

O Brasil tem os seus primeiros campeões brasileiros de Kickboxing Universitário. O primeiro campeonato chancelado pela Confederação Brasileira de Desportos Universitários abriu a semana da Copa Brasil de Kickboxing, em Maringá (PR). Os atletas e suas delegações participaram de dois grandes eventos entre os dias 4 e 7 de setembro. Além do primeiro campeonato universitário, houve o retorno da Copa Brasil.

O 1º Campeonato Brasileiro de Kickboxing Universitário foi grande marco para todos os participantes, afinal, os atletas puderam escrever seus nomes como pioneiros. A entrada do esporte no circuito de Lutas da CBDU é uma das grandes conquistas realizadas pela CBKB nos últimos anos. Agora é possivel afirmar que o Kickboxing é Olímpico e Universitário. 

Modalidade ainda teve os Jogos Universitários (Divulgação)

Paulo Zorello, presidente da CBKB e Wako Panam (Confederação Pan Americana de Kickboxing) e vice-presidente da Wako (World Association of Kickboxing Organizations – Associação Mundial de Organizações de Kickboxing), falou sobre o Campeonato Universitário. “Já na primeira edição um bom número de atletas, um excelente número de universidades com representantes. Isso mostra que mais uma vez a CBKB oportunizou os seus filiados e está no caminho certo para o desenvolvimento do esporte em todo o território nacional. Essa divisão do esporte universitário era algo que a gente já buscava há algum tempo e tenho certeza que vai crescer muito. Nosso objetivo não é somente organizar o campeonato universitário dentro de um evento oficial da CBKB e sim participar do JUBs. Esse é o principal objetivo e, com certeza, conquistaremos”, destacou. 

O Campeonato Brasileiro Universitário foi promovido em 4 de setembro. Puderam participar como atletas universitários os jovens de 18 a 25 matriculados em instituições de ensino superior. A modalidade disputada foi o Light Contact e os competidores participaram  também da Copa Brasil, que foi realizada em sequência no mesmo local.

Foram 38 atletas inscritos, sendo um desclassificado na primeira etapa (pesagem oficial). Conforme a CBDU, 29 lutas foram realizadas, divididas em cinco categorias. Duas femininas: até 60kg e até 70kg. Três masculinas: até 69kg, até 79kg e até 89kg. Os atletas participantes representaram 26 universidades do Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Sergipe e Distrito Federal.

Para José Francisco Marques Cardoso, diretor universitário da Federação de Kickboxing do Estado do Rio de Janeiro e membro da Comissão Nacional de Kickboxing Universitário da Confederação Brasileira de Kickboxing, a representatividade dos atletas foi significativa. “Não foi maior, pois se enquadrar na categoria universitária torna a participação mais seletiva. Temos muitos atletas na idade, mas poucos são acadêmicos em nível superior. A Confederação Brasileira de Kickboxing está para firmar parcerias com diversas universidades no país onde facilitará o ingresso dos nossos atletas nas faculdades”, adiantou. 

“Esses atletas possuem grande espírito de liderança, disciplina, responsabilidade e vontade de vencer. A missão da CBKB, além de fomento do kickboxing em nível nacional, é a contribuição social”, finalizou. 

Lucas Jacob, membro da Comissão Nacional de Kickboxing Universitário da Confederação Brasileira de Kickboxing, também comenta sobre os desafios desse primeiro campeonato. “Foi diferente do que a gente já estava acostumado, principalmente, por ter a situação de abranger a maior parte das universidades possíveis e a gente tentar se conectar com todos os estudantes. Então, a gente começou o trabalho de levantamento dos universitários da CBKB há mais de um ano, intensificamos esse trabalho em fevereiro deste ano e fomos avançando. Feito isso, começamos a enviar os convites e entramos em contato com os representantes de delegações e continuamos trabalhando para mostrar a importância de participar e se envolver no campeonato universitário”, relatou. 

“A ideia é que a gente consiga implementar o kickboxing nas etapas do circuito de desporto universitário: Jogos Universitários de Luta, Jogos Estaduais Universitários, entre outros, e assim a gente coloque o esporte em todo circuito universitário, não só no Brasil, mas nos panamericanos e circuitos mundiais de competições universitárias”, acrescentou.

COPA BRASIL 

Após o 1° Campeonato Brasileiro de Kickboxing Universitário, foi realizada a Copa Brasil de Kickboxing. As competições aconteceram no mesmo local e seguiram até o dia 7 de setembro. No total, 602 atletas competiram em todas as modalidades do kickboxing. Representantes de 17 estados estiveram presentes. Desses 602 participantes, em torno de 300 foram classificados para o Panamericano deste ano, que será realizado em Cascavel (PR). 

“Realizar essa Copa Brasil mais uma vez no Paraná foi um prazer para a CBKB, principalmente, da forma que o estado, a delegacia, sabiamente comandada pelo professor Fábio Galvão, tem demonstrado a expertise na realização dos grandes eventos. Haja vista, o campeonato sul-americano no ano passado, Copa Brasil esse ano e também logo mais o campeonato panamericano que será em Cascavel. Cascavel, terra do nosso presidente da Comissão de Mídia e meu assessor pessoal, Jeferson Lazaro, que tem trabalhado muito para o desenvolvimento do kickboxing em todo o estado”, avaliou Paulo Zorello.  

O Paraná conquistou o grande título da Copa Brasil. Zorello pontuou que “isso não é fruto do acaso”. “É fruto de um trabalho sério, trabalho diário, trabalho com objetivos. Algo que o comando da delegacia, os faixas-pretas do estado e os filiados têm mostrado que têm toda percepção da necessidade de fazê-lo. O Paraná está de parabéns, todos os participantes estão de parabéns. Foram 17 estados. Recorde de participação de estados. O kickboxing vem crescendo cada vez mais e a Copa Brasil demonstrou que é um campeonato que atrai realmente”, encerrou.