Sem “pachequismo”: dez treinadores e lutadores brasileiros acertam resultado de Poatan vs Prochazka

0
299

No confronto principal do UFC 295 do último sábado, Alex Poatan venceu Jiri Prochazka e conquistou o cinturão dos meio-pesados. Ao PVT, antes do duelo, dez especialistas cravaram a vitória do brasileiro, mesmo o adversário sendo o duro tcheco, ex-campeão da categoria.

Confira abaixo os palpites completos e o vídeo no canal do PVT no Youtube.

Caio Borralho (peso-médio do UFC) – “A maneira de vencer o Poatan é tentar derrubá-lo usando a área onde ele tem menos experiência e, teoricamente, é mais vulnerável (grappling). Eu não vejo o Jiri tendo um Wrestling diferenciado para derrubá-lo e mantê-lo no solo. Muito pelo contrário. Jiri é um striker e institintivamente deve repetir o que fez em todas as suas lutas: buscar o nocaute desde o primeiro segundo. Mas contra um campeão de duas divisões do Glory, como o Poatan, eu não acho que seja uma boa ideia.”

Vinicio Antony (ex- headcoach de Lyoto Machida)– “Jiri tem um jogo perigoso e não convencional, e uma envergadura impressionante de 2,13m, eu não acho uma boa ideia trocar golpes com ele. Se eu fosse o treinador do Poatan, trabalharia nos chutes baixos desde o início da luta para destruir a perna do Prochaska. Com o movimento comprometido, seria mais fácil impor o kickboxing e construir um nocaute.”

Carlão Barreto (comentarista do UFC Fight Pass Brasil e do Papo de Luta) – “Uma coisa não pode ser esquecida: Jiri tem 33 lutas no MMA e Poatan, 10. Esta luta será disputada nas regras do MMA. Prochaska é um oponente totalmente imprevisível, se ele tivesse trabalhado mais em seu sistema defensivo usando sua envergadura de 2,13m, sem dúvida, ele seria o grande favorito contra o Poatan. A questão é: será o Jiri capaz de mudar seu seu jogo só para esta luta ? Eu não acredito. Eu acho que ele virá para a briga e, se fizer isso, o Poatan é um atirador com poder de nocaute e terá mais chances de acertá-lo.”

Leonardo Elias (treinador de Muay Thai na Tailândia) – “Muito difícil de prever. Jiri tem um jogo bastante não-convencional. Se fosse a primeira luta do Poatan nessa divisão, eu apontaria Jiri como favorito. Mas depois de passar por um grande teste vencendo um ex-campeão em uma guerra em sua estreia nos meio-pesados, eu acredito que o Poatan teve seis meses para se adaptar melhor à nova divisão e deve estar ainda mais perigoso. Poatan une precisão e poder de nocaute. Eu o vi desligando oponentes com socos na guarda. Eu acho que ele conseguirá outro nocaute.”

Junior Cigano (ex-campeão do UFC) – “Esta será uma grande luta e com grandes chances de terminar por nocaute, já que ambos são excelentes kickboxers com poder de nocaute. Eu vejo os caras de Muay Thai sempre procurando o confronto. Como boxeador, gosto de me movimentar mais, encontrar ângulos que me permitam atacar e confundir meu oponente. Mas isso não é um conselho, é apenas um ponto de vista e eu acredito que quem fizer isso melhor nessa luta terá mais chances.”

Jayme Sandall (ex-técnico de Karatê de Vitor Belfort) – “Um ponto fraco que vejo no Poatan contra o Jiri é o fato de ele lutar MMA como se ainda estivesse lutando com uma luva de Kickboxing de 8 onças. O Poatan se expõe muito avançando o tempo todo, precisamente porque os socos que ele levou a vida toda foram com luvas maiores. O problema é que o Jiri é um contra-golpeador muito perigoso, mesmo recuando. Se o Poatan não fizer um ajuste pra esta luta, pode ser surpreendido. Se eu fosse o treinador do Poatan, trabalharia muito em cima de movimentação, usando mais esquivas, fintas e sua velocidade para surpreender o Jiri. Vejo o Poatan como favorito”

Fabricio Werdum (ex-campeão peso-pesado do UFC) – “O fato de o Glover ter lutado contra o Jiri será um diferencial para o Poatan, não apenas por causa do desejo de vingar seu melhor amigo, o que é obviamente um fator, mas principalmente no treinamento do Poatan para esta luta. Vale lembrar que ele estreou na categoria enfrentando um ex-campeão (Blachowicz) que teoricamente causaria mais dificuldades para ele em seus pontos fracos (defesa de quedas e no chão). A luta foi difícil, mas o Poatan venceu. Entre julho e novembro, ele certamente se adaptou ainda melhor à nova divisão e lutará contra um cara que gosta de trocação. Por isso, acredito na vitória do Poatan por nocaute.”

Wallid Ismail (promotor da Jungle Fight) – “Alex Poatan é diferente, o cara era um borracheiro, veio da guerra ! Ele começou tarde no Kickboxing e MMA. Teve uma derrota em sua estreia no MMA no Jungle Fight, mas perseverou como verdadeiros guerreiros fazem. Por todos os obstáculos que enfrentou e pela história que construiu, não tenho dúvidas de que ele vai atropelar no sábado”.

Paulo Zorello (Presidente da Confederação Brasileira de Kickboxing) – “Tenho acompanhado o Poatan desde o início no Kickboxing, vi a maioria de suas conquistas no esporte da beira do ringue. Além de sua mente blindada, o que sempre me impressionou no Poatan foi o fato de ele ter precisão e poder de nocaute com ambas as mãos, especialmente por ser destro com um torpedo na mão da frente. Jiri é, sem dúvida, um lutador perigoso e merece todo o respeito, mas acho que seu estilo “brigador” combina perfeitamente com o do Poatan. Acredito num nocaute.”

Daniel Mendes (treinador de striking de Vicente Luque) – “No papel não tem como o Jiri vencer o Poatan. Eu acredito em um nocaute do brasileiro e nos primeiros rounds.”acredito em um nocaute do Poatan.”