Taila Santos fala sobre estreia no UFC e diz que preconceito com o MMA feminino está diminuindo

nvicta no MMA, catarinense enfrenta a italiana Mara Borella neste sábado no UFC Fortaleza - Foto: Divulgação/UFC
nvicta no MMA, catarinense enfrenta a italiana Mara Borella neste sábado no UFC Fortaleza – Foto: Divulgação/UFC

Aos 20 anos, Taila Santos fazia a sua estreia no MMA com vitória. Cinco anos depois de seu debute, ela construiu um cartel perfeito de 15 vitórias, conquistando assim um contrato com o UFC. Oriunda do Muay Thai, modalidade que começou a praticar com o seu pai, a catarinense entrou para o Dana White’s Contender Series quando já tinha no currículo dez vitórias por nocaute. No programa, ela derrotou Estefani Almeida e assinou com o UFC. E, neste sábado (2), ela fará a sua estreia na organização contra a italiana Mara Romero Borella, em evento que será realizado em Fortaleza.

“Estou bem ansiosa, mas é uma ansiedade boa. Fiquei bem feliz que a minha luta será aqui no Brasil. Eu queria que a minha primeira luta no UFC fosse no Brasil, e vai acontecer. Sei que muita gente questiona o peso dessa minha invencibilidade, mas não é uma coisa que me preocupa. Eu estou tranquila e feliz de lutar no meu país”, disse Taila.

Nascida em Jaraguá do Sul e atualmente vivendo em Balneário Camboriú, onde treina na academia Astra Fight Team, Taila Santos está animada para a sua estreia e feliz com o crescimento do MMA feminino. Parceira de treinos de Sarah Frota, que também fará a sua estreia no card de Fortaleza, Taila diz que o preconceito com as mulheres no esporte de luvinhas está diminuindo e que tudo é fruto do bom desempenho das meninas no octógono.

“O MMA feminino já sofreu muito preconceito. Eu não passei tanto por isso. Aqui na minha academia, a Astra Fight Team, só temos eu e a Sarah Frota de mulheres, e sempre fomos muito bem tratadas por todos os meninos do time. O MMA feminino está crescendo muito, as meninas estão sempre dando show. Então, o preconceito tem diminuído. E a tendência é que o MMA feminino cresça ainda mais”, concluiu.