Um milhão de dólares e revanche: o que está em jogo para Luis Japa nos playoffs da PFL

Catarinense encara Jeremy Kennedy nesta quinta (17) pelas quartas-de-final do GP dos penas - Foto: Divulgação/PFL
Catarinense encara Jeremy Kennedy nesta quinta (17) pelas quartas-de-final do GP dos penas – Foto: Divulgação/PFL

Luís Rafael “Japa” chegou a Professional Fighters League (PFL) para disputar o torneio peso-pena (66kg) ostentando um expressivo cartel de 33 vitórias e apenas uma derrota. Logo em sua primeira luta ele apresentou o seu cartão de visitas com um nocaute em apenas 23 segundos de luta contra o canadense Jeremy Kennedy. Na luta seguinte, ele teve pela frente o atual campeão do torneio Lance Palmer, que o derrotou por nocaute técnico no terceiro round. Mesmo com o revés, a vitória conquistada na primeira rodada garantiu sua vaga nos playoffs. Nesta quinta-feira (17), em Las Vegas, ele entra em ação pelas quartas-de-final do torneio. Seu oponente será o mesmo Jeremy Kennedy, que ele derrotou na primeira rodada do GP.

“Meus treinos foram intensos desde maio. Para os playoffs, como existe a possibilidade de fazer duas lutas na mesma noite, demos uma atenção especial a parte cardiorrespiratória para estar bem condicionado para essas duas lutas. A primeira será conta o Jeremy Kennedy. Ele é um lutador perigoso, mas eu também sou um cara perigoso para ele. Eu não penso na nossa primeira luta. Agora é uma luta nova, estamos mais preparados, experientes e familiarizados com o formato do torneio. Posso vencê-lo novamente por nocaute, mas tenho outras armas para sair vencedor deste combate”, disse Japa.

Caso vença o canadense, o atleta da Astra Fight Team avança para a semifinal, que acontece na mesma noite. Seu algoz Lance Palmer está do outro lado da chave e um novo duelo entre eles só poderá acontecer caso os dois avancem a final do GP, que está programada para o dia 31 de dezembro e pagará um milhão de dólares ao campeão. O catarinense está pensando em uma luta de cada vez, mas não esconde que gostaria de fazer uma revanche contra o americano.

“Eu nunca tinha enfrentado um wrestler de alto nível como o Lance Palmer. Eu entrei para nocauteá-lo, fui muito pra cima, e acho que esse foi o meu erro. Esse era o momento que ele me derrubava e fazia o jogo dele. Mas tenho certeza que ele vai passar para a final na chave dele, que eu vou passar pelos meus oponentes, e nós vamos nos encontrar na final. E garanto que será bem diferente, porque agora eu já tenho essa experiência de já ter lutado contra ele e sei o que fazer para não cometer os mesmos erros. Seria ótimo ser campeão do GP, conquistar a premiação em dinheiro e o cinturão, derrotando ele”, concluiu.