Após manter cinturão do Pancrase, Rafael Morcego mira título do One Championship: “vou bater em todo mundo”

Após sofrer golpes ilegais, catarinense finaliza japonês Yuto Kintaro e mantém cinturão dos galos - Foto: Divulgação Pancrase

Rafael “Morcego” Silva conquistou a trigésima vitória na carreira da melhor maneira possível. No último domingo (17), o catarinense finalizou o japonês Kenta Takizawa na edição 303 do Pancrase, realizada em Tóquio, e manteve o cinturão peso-galo do evento asiático. Antes da luta, o atleta da Astra Fight Team recebeu a notícia da parceria entre o Pancrase e o One Championship, o que deu uma motivação a mais para o duelo.

“Foi minha sexta vez no Japão, então, eu já sabia que seria bastante difícil a adaptação, que seria um sofrimento grande. Mas já me acostumei, já vou para o Japão mentalmente preparado. E no final deu tudo certo, me adaptei bem e bati o peso tranquilo. Fiquei bem feliz com o resultado. Não sei quando volto a lutar, mas agora com essa parceria com o One, o que foi comentado é que os campeões do Pancrase irão lutar no One. Então, é bem provável que eu vá lutar no One”, se animou Morcego.

O brasileiro já está de volta a Balneário Camboriú depois de um longo voo com escalas em Paris e São Paulo. Entre a comemoração pela vitória e a tentativa de dormir no avião, Morcego buscou refletir sobre o seu futuro e, principalmente, sobre a possibilidade de realmente lutar no One.

“Sou bem feliz com a carreira que construí. Lutei bastante, passei pelo Bellator, fui campeão do GP e disputei o cinturão lá, agora sou campeão do Pancrase… Se eu parasse hoje, estaria satisfeito com tudo o que fiz no MMA, mas claro que ficaria aquele sonho de que poderia ter lutado no UFC. Em relação ao One, o evento está crescendo bastante e sem dúvida vai agregar ao meu currículo e a minha história no esporte. E provavelmente minha bolsa vai aumentar também (risos). Tenho certeza que se eu lutar no One, vou fazer a mesma coisa que fiz no Pancrase. Vou bater em todo mundo”, concluiu.