Atleta da Pitbull Brothers disputa cinturão em Brasília sonhando com chance no MMA internacional

0
96
Gugu Azevedo José Augusto “Gugu” fechou contrato esta semana, mas já projeta repetir feito de Patrício Pitbull - Foto: Divulgação
Gugu Azevedo luta este sábado (14) contra Vinícius Gigantinho em busca da quarta vitória seguida – Foto: Divulgação

O peso-pesado José Augusto Azevedo Barros, o Gugu, vive o seu melhor momento na carreira. Desde que se juntou a Pitbull Brothers, equipe liderada pelos irmãos Patricky e Patrício Pitbull, estrelas do Bellator, o baiano de Paulo Afonso não sabe o que é perder. Já foram três vitórias seguidas representando o time dos irmãos Pitbull, e este sábado, dia 14 de setembro, quando enfrentará Vinícius Gigantinho pelo evento COF (Centro Oeste Fight) InMove, que será realizado em Brasília, ele tentará emplacar o quarto triunfo consecutivo e de quebra conquistar o cinturão da organização. O objetivo de Gugu é, além do cinturão, chamar a atenção de algum grande evento de MMA internacional.

“Sem dúvidas estou vivendo o meu melhor momento na carreira. Estou treinando com mais inteligência agora. Estou pronto para lutar até o final contra o Gigantinho, mas espero uma vitória rápida. Após vencer e conquistar o cinturão, espero conseguir uma oportunidade em algum evento internacional. Estou muito feliz com a minha equipe e sei que eles planejam o melhor para a minha carreira. Tenho certeza que mais cedo ou mais tarde dará tudo certo”, garante Gugu.

Com um cartel de cinco vitórias e apenas duas derrotas, o atleta de 27 anos conquistou quatro triunfos por nocaute. Seu oponente também gosta da trocação e, das nove lutas que venceu, oito delas foram por nocaute. Para Gugu, o ímpeto nocauteador do adversário dará brechas para que ele possa impor o seu jogo e sair da luta com o braço levantado antes do término dos três rounds.

“Ele é um peso-pesado igual a todos os outros. Ele dá tudo de si a cada golpe para acabar com a luta logo. Mas, fazendo isso, ele vai me dar muitas oportunidades de contragolpear. Sou muito mais técnico do que a maioria dos pesos-pesados. Vou trabalhar com velocidade e achar a distância até surgir a oportunidade para nocautear ou finalizar a luta”, concluiu o casca-grossa.