Atleta da Pitbull Brothers disputa cinturão em Brasília sonhando com chance no MMA internacional

Gugu Azevedo José Augusto “Gugu” fechou contrato esta semana, mas já projeta repetir feito de Patrício Pitbull - Foto: Divulgação
Gugu Azevedo luta este sábado (14) contra Vinícius Gigantinho em busca da quarta vitória seguida – Foto: Divulgação

O peso-pesado José Augusto Azevedo Barros, o Gugu, vive o seu melhor momento na carreira. Desde que se juntou a Pitbull Brothers, equipe liderada pelos irmãos Patricky e Patrício Pitbull, estrelas do Bellator, o baiano de Paulo Afonso não sabe o que é perder. Já foram três vitórias seguidas representando o time dos irmãos Pitbull, e este sábado, dia 14 de setembro, quando enfrentará Vinícius Gigantinho pelo evento COF (Centro Oeste Fight) InMove, que será realizado em Brasília, ele tentará emplacar o quarto triunfo consecutivo e de quebra conquistar o cinturão da organização. O objetivo de Gugu é, além do cinturão, chamar a atenção de algum grande evento de MMA internacional.

“Sem dúvidas estou vivendo o meu melhor momento na carreira. Estou treinando com mais inteligência agora. Estou pronto para lutar até o final contra o Gigantinho, mas espero uma vitória rápida. Após vencer e conquistar o cinturão, espero conseguir uma oportunidade em algum evento internacional. Estou muito feliz com a minha equipe e sei que eles planejam o melhor para a minha carreira. Tenho certeza que mais cedo ou mais tarde dará tudo certo”, garante Gugu.

Com um cartel de cinco vitórias e apenas duas derrotas, o atleta de 27 anos conquistou quatro triunfos por nocaute. Seu oponente também gosta da trocação e, das nove lutas que venceu, oito delas foram por nocaute. Para Gugu, o ímpeto nocauteador do adversário dará brechas para que ele possa impor o seu jogo e sair da luta com o braço levantado antes do término dos três rounds.

“Ele é um peso-pesado igual a todos os outros. Ele dá tudo de si a cada golpe para acabar com a luta logo. Mas, fazendo isso, ele vai me dar muitas oportunidades de contragolpear. Sou muito mais técnico do que a maioria dos pesos-pesados. Vou trabalhar com velocidade e achar a distância até surgir a oportunidade para nocautear ou finalizar a luta”, concluiu o casca-grossa.